Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

SP NÃO TEM ÀGUA, IGUAL AO DISTRITO FEDERAL DE 1940, OS PREFEITOS TAMBÉM NÃO TRABALHAVAM. DONA DILMA REVOLTADA COM A CORRUPÇÃO DE 88 BI, NÃO FALA COM DONA GRAÇA.

HELIO FERNANDES
31.01.15

Preocupante, assustador, quase pânico. As duas ações da Petrobras, ordinárias e preferenciais, fecharam abaixo de 8 reais, a menor cotação da historia. Não existe nenhuma expectativa positiva para o próximo pregão, segunda feira.

Antigamente, sem a corrupção que começou em Pasadena e atingiu níveis inimagináveis, e a “desadministração” que trouxe consigo a corrupção incalculável, (essa é a palavra exata e insubstituível) as duas ações sofriam oscilações diferentes.
Como a preferencial pagava dividendos antes, essas se mantinham. Agora, como a própria Petrobras anuncia que não pagará dividendos, é tudo igual.

E a culpa é toda da corrupção e da incompetência e imprudência completa da direção da empresa. Não adianta tentar jogar a culpa na queda do preço do petróleo no mercado internacional. Isso vai atingir profundamente a Petrobras, quando cgh=hegar a época da exportação do pré-sal.

Por enquanto é apenas cálculo no papel. Mas a direção da empresa confessa: “Reservamos 102 Bilhões para aumentar a capacidade de produção do pré-sal”. Mas como tudo desaparece naqueles largos portões do prédio da Avenida Chile, o dinheiro sumiu e a produção não cresceu.

Alckmin água abaixo.

Em São Paulo a “crise hídrica” (por que não chamar de falta dagua. Sem, apostrofe, que detesto?) já completou dois anos. Apesar disso e de sua incompetência congênita e adquirida, Geraldo Alckmin, que não fez nada, foi reeleito com 67 por cento dos votos, no primeiro turno. No caso, visivelmente a culpa não é só dele.

Tem medo de usar a palavra racionamento, então apela e insiste nessa ridícula “crise hídrica”. O Distrito Federal de 1940 a 1965, quando já o Estado da Guanabara por causa da mudança da capital, teve racionamento diário, terrível e revoltante.

Durou mais de 20 anos, porque os prefeitos do então Distrito Federal, não faziam nada, exatamente como o governador de São Paulo, que só vive chorando, como os prefeitos daqui. Carlos Lacerda assumiu em 5 de novembro de 1960, colocou como prioridade absoluta , três coisas: agua, transporte e túneis, interligando a cidade, que era inteiramente isolada. O único túnel, o João Ricardo, que ligava a Central do Brasil á Praça Mauá, era pequeno, sujo, mal iluminado.

O racionamento funcionava assim. Abriam a água de meio dia a meio dia e trinta e de seis da noite às seis e meia. Agua corrente nem pensar. O recurso era empilhar água em todos os lugares. Nos primeiros três anos, Lacerda cuidou da água, popularizou a palavra Guandu. Pois era de lá que vinha o reabastecimento.

O Secretario do Governo, Helio Beltrão, fez 9 ou 10 viagens aos EUA para conseguir financiamento com juros pagáveis, e não os impagáveis, obtidos pela ditadura para a Ponte Rio-Niterói. Festa total quando o governador acabou com o racionamento.

Por que Alckmin não trabalha, faz o racionamento e marca data para acabar essa esdrúxula “crise hídrica”? Que nem Aurélio ou Houaiss, colocariam nos seus dicionários:

Bradesco Trabuco.

Esse banco que apresenta todo ano balanço com lucros fantásticos, de BILHÕES, se julga poderoso mas é apenas incompetente e inconsciente. A filha do ex-diretor da Petro, Paulo Roberto, está autorizada a movimentar contas, foi ao Bradesco e pediu um cheque administrativo de 500 MIL REAIS. Recebeu um cheque no valor de 500 MILHÕES.

Percebeu imediatamente o equívoco, pediu para fazer a devolução, a equipe do Bradesco, displicente, nem ligou para ela. Foi para casa, telefonou para o advogado que devolveu o cheque a um Bradesco estarrecido, presidido pelo senhor Trabuco, que pelo nome não se perca.

Incompetente, displicente, a direção do Bradesco se manifestou pela mentira, Entrou com ação na Justiça. “exigindo que a cliente devolvesse o cheque”, que já estava devolvendo. O processo caiu com o juiz Luiz Felipe Negrão, que determinou que o “processo corresse em segredo de Justiça”.

Menos o dele, que mandou que fosse devolvido o cheque que já estava com o Bradesco-Trabuco. É inacreditável, erro em cima de erro, em cadeia, perdão pela palavra acintosa.

Placar eleitoral.

A escolha do presidente da Câmara e do  Senado, será amanhã domingo. Renan é favorito para reeleição, o fato de Luiz Henrique ter se lançado, nenhuma importância, isso tem acontecido varias vezes. Mas Renan esta assustado com sua inclusão na lista do Lava-jato. Que só trabalha nos bastidores, oficialmente não é candidato.

Mas tem que se registrar hoje, sábado, é o ultimo dia. Eduardo Cunha, tão ou mais vulnerável, já é candidato ha mas de 1 ano, e em nenhuma pesquisa aparece em segundo lugar. Ontem, surpreendentemente, ganhou alguns votos, estava eufórico e retumbando vitoria.

Mais Chinaglia também satisfeito, principalmente depois de conversar com Dona Dilma, o que é uma contradição. Nessa Câmara, Cunha pode até ganhar mesmo, só que tem que enfrentar a Lava-jato, incógnita e desconhecimento. Mas não precisa esperar muito. Se ganhar no dia 2, amanhã, pode perder no dia 3, depois de amanhã.

Resposta.

Vera Lucia Damião, por enquanto sé existe o candidato oficial, secretario do próprio Paes.
Mas nos bastidores, Cesar Maia alimenta a própria candidatura. Comparado seus mandatos ao do Paes deveria ficar envergonhado. Mas acontece que Maia até agora só se elegeu prefeito, antes e depois da reeleição. Nos intervalos, foi derrotado para governador e senador. Podem dizer o que quiserem, mas Paes nunca foi acusado de irregularidade.

Obrigado Miguel de Serra Cortez pelos votos de sucesso. Estive três vezes no seu agradável  Uruguai. Em 1948, mocissimo, fiz minha primeira viagem a Europa destruída pela guerra. No ano seguinte percorri toda a America do Sul, começando pelo Uruguai, da moeda solida e estável, chamado de "Suíça" da América do Sul. Um reduto de democracia que resistiria bravamente 60 anos depois, quando todos somos degradados pela ditadura.

Não vou parar Raimundo Nascimento, mas é bom você lembrar isso. Varias vezes, enquanto ia avançando na idade me convencia pela convicção. E escrevia: " meu ultimo artigo será escrito na rua do Lavradio, sede da Tribuna, sairá junto com meu corpo. Agora, como fecharam o jornal, não pretendo parar, só que serei cremado e a matéria do blog em cima do caixão. Sei que vai dar tempo, o tempo da permanência, da existência e da saudade.

"Quais as três figuras que você malharia em praça publica?", Geilton Torres. O verbo é no passado e não no presente, Geilton. Não poupei em nenhum momento, durante a ditadura os três generais "presidentes" e “torturadores". Sem hesitação: Castelo, Médici, Geisel.

Não estou citando Costa e Silva, só ficou dois anos. E no último ano, coordenava com Pedro Aleixo (o vice civil que não assumiu) uma nova Constituição, rigorosamente democrática. O jornalista José Aparecido juntou 12 jornalistas combatentes, nos reuníamos duas vezes por semana num apartamento da Domingos Ferreira.

Mas veio o invencível AVC, acabou tudo. Costa e Silva foi considerado incapacitado e morreria logo. Assumiram os "três patetas", identificação deste repórter, que por isso, no dia da posse desses "três patetas", fui desterrado, sequestrado, confinado mais uma vez, dessa em Mato Grosso.

Havia até o esboço de uma Constituição, redigida coletivamente. Naturalmente não era magistral como a "Constituição Humanística" do Millôr. Com um único artigo: "O pôr do sol é de quem olhar”.

PS- Ontem depois de mais de quatro horas de jogo, Djokovic passa á final do aberto da Austrália. Amanhã enfrenta Murray. Mas confirmando a inconstância dos jogadores, como tenho registrado. Jogo interessante quatro sets disputados, foram para o quinto.

PS2- Aí Wawrinka desanda a jogar bolas fora, com 40/0 perde o game. Noutro, 0/40 entrega para o serviço. Duplas faltas, erros em cima de erros, perde de 6/0. O sérvio é excelente jogador. Só que mais exibicionista do que FHC e Trabuco, juntos.

.........................................................................................................................
Nossos leitores podem fazer comentários e se comunicar com os colunistas, através do e-mail: blogheliofernandes@gmail.com
As respostas serão publicadas aqui no rodapé das matérias. (NR).


Ao jornalista do Bog.

Cadê a tal matéria do Charlie Hebdo, da edição do dia 27? Você prometeu aos seus leitores e  não escreveu uma linha sobre isso.Esqueceu, ou engavetou o tema. Estou aguardando nem que seja pouca linhas. De preferência que não sejam repetitivas do outro texto senhor Jornalista!

Jussara Ignes dos Santos – Rio de Janeiro
...
Helio,

Está começando o Cariocão. Flamengo, Botafogo, e Fluminense. O que acha que vai acontecer? Times pequenos nem pensar, mesmo que fiquem para a final. Sei que você flamengo doente, mas, será aquela “marmelada”, do jogo Flamengo e Cabofriense na decisão (para espantar a crise do Mengo) do estadual do ano passado.

Você lembra do Canto do Rio? Sou de Niterói, e quando vejo aquele patrimônio todo jogado as baratas, me entristece. Malfadados dirigentes ladrões, venais que infestam os clubes brasileiros.

O clube nasceu em 1913, cresceu muito e tornou-se o primeiro clube do antigo estado do Rio de Janeiro a se profissionalizar, em 1941. No ano de 1953 teve seu  grande momento. O Canto do Rio conquistou o Torneio Carioca ao vencer o Vasco da Gama por 3 a 0 na partida final, disputada em pleno Estádio Jornalista Mario Filho. 

Juca Soares Neto – Niterói-RJ


quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

PETROLEO, AGUA, DIVIDAS, CORRUPÇÃO, INFLAÇÃO ELEVADA, JUROS ALTISIMOS, DESADMINISTRAÇÃO, CORRUPÇÃO CADA VEZ MAIS ASSOMBROSA, CORRUPTOS E CORRUPTORES, CONFUNDINDO EMPRESAS E EMPRESARIOS.

HELIO FERNANDES
30.01.15

Nunca tantos deveram tanto a tão pouco. (Churchill). Podemos adaptar a frase, fica mais verdadeira e consciente: “Nunca tão poucos roubaram tanto, apenas de uma empresa”. Alguns dos problemas que citei no título se transformam em manchetes diárias, se eternizam, arruínam o país, destroem a confiança e a autoestima de um povo.

E não há no horizonte nada satisfatório. Pelo contrario, vemos cada vez mais vitoriosos, a incompetência, a imprudência, a inconsequência. E mais grave e assustador: Dona Dilma que herdou sua própria desadministração, está disposta a ultrapassar FHC no seu proclamado e jamais desmentido retrocesso de 80 anos em 8.

Comecemos pelo petróleo, afinal o mundo há mais de 100 anos, de uma forma ou de outra, está subordinado a ele. Á sua existência ou omissão. Só que agora, com a derrubada dos preços, os dois polos não se entendem, perdem igualmente. É lógico que os vendedores, produtores, exportadores acumulam prejuízos e não sabem como recupera-los.

O Brasil que viveu dezenas de anos entre a luta heroica de Monteiro Lobato que era preso e asilado por “acreditar que havia petróleo no Brasil”. E os engenheiros americanos que “viviam aqui”, e repetiam, “não há petróleo no Brasil”.

Monteiro Lobato foi deportado e teve que viver no exterior, a coragem ou audácia de desenhar o Brasil e sua a fronteiras e explicar: “Deus quando criou o mundo, determinou, todos esses países terão petróleo, menos o Brasil”. Dezenas de anos o Brasil passou a descobrir petróleo todo dia e em todos os lugares.

Até que finalmente chegamos á realidade fulminante e revolucionária do PRÉ-SAL. Só que essa riqueza inimaginável está a uma profundidade tão grande, que o custo de trazê-lo á superfície, trabalha-lo e exporta-lo, era calculado entre 60 ou 65 dólares por barril.

Mas como esse barril era facilmente vendido a 100 dólares, sem dificuldades, compensava e não assustava. Mas o mercado é cruel. De uma hora para outra, o preço caiu para a metade, ontem fechou a 45 dólares. Não há explicação nem esperança de recuperação, pelo menos em 2 anos, é a estimativa geral, Mas pode demorar mais.

Rússia e Venezuela, encharcados de petróleo, mas nem imaginando uma diversificação, praticamente arruinados, ficam se lamentando. O Brasil, que descobrira a “pedra filosofal” liquida, perdeu as esperanças.

Mas como ainda não exporta nada, fica impossibilitado de fazê-lo. Com custo, vá lá, de 60 dólares e venda garantida por 100, apontava para um futuro radioso. Agora, indo buscar na profundidade a 60 e vendendo a 45 ou 50 por barril, aponta para uma realidade tenebrosa, O que fazer?

Petrobras: a eternidade da corrupção.

Se não bastasse a crueldade do preço, apenas no Brasil, surgiu a selvageria da desadministração da nossa maior empresa, assaltada por corruptos e corruptores. Que mesmo indiciado, defendem teses ardilosas e criminosas. 1 – A empresa (Petrobras) é a culpada e a responsável por tudo. Como é que empresários-empreiteiros poderiam fraudar a empresa, se não fosse a fragilidade e a irresponsabilidade dela?”.

2 – Esses mesmos empresários-empreiteiros-corruptos-corruptores, lançam com grande cobertura: “Se as empreiteiras não puderem mais trabalhar para as estatais, o Brasil irá a falência”.

3 – Conseguiram comover até o Advogado Geral da União, que sem constrangimento, foi ao Paraná, e fez a proposta ao Ministério Público e á Policia Federal: “Esses empresários que arruinaram a empresa, devem pagar multas altas, mas não podem ser impedidos de produzirem para o país”. Foi repelido, voltou novamente, não foi recebido.

4 – A Petrobras em reunião do Conselho, por unanimidade, confeccionou uma lista com 23 empreiteiras, determinou: “Nenhuma delas pode trabalhar mais para a empresa”. Pânico total. Mas com gente graduada, esses corruptos-corruptores lançaram campanha: “Por que acreditar nesses que foram beneficiados pela delação? Os grandes criminosos e ladrões são eles”.

Placar eleitoral

Depois de conversas incessantes, a conclusão: hoje Eduardo Cunha estaria eleito presidente da Câmara. Mas como faltam 72 horas para domingo e a eleição, tudo pode mudar. Além do mais, como os votos foram “obtidos" de forma ominosa ou criminosa, podem mudar.

É a esperança que vale também para Renan, presidente do Senado: segunda feira, 24 horas depois da eleição da presidência da Câmara e do Senado o relatório do lava-jato será revelado e publicado. Nada surpreendente que os dois sejam vetados, mesmo com os votos necessários.

PS- Exibicionista, Trabuco, Executivo do Bradesco, não larga os holofotes. Não quis ser Ministro da Fazenda, perigoso não abre mão de ser o conselheiro da Republica. Ontem: "Neste 2015, haverá contenção do crédito". Com juros de 43% até 280, não está descobrindo a pólvora.

PS2- O tênis está cada vez mais inconsistente, incoerente, inconsequente. Federer jogou 10 vezes com o italiano Seppi, ganhou todas. Agora perdeu 3/0, sendo que dois sets no tiebreak. Não pode perder para ele.

PS3- Nadal, depois de 7 meses parado, perdeu para Berdwich sendo um set por 6/0. Berdwich enfrentou Murray ganhou o primeiro set no tiebreak, perdeu o segundo por 6/0. Esses que estão na frente, vão parar dentro de quatro anos, ninguém tem potencial para substituí-los.

.........................................................................................................................
Nossos leitores podem fazer comentários e se comunicar com os colunistas, através do e-mail: blogheliofernandes@gmail.com
As respostas serão publicadas aqui no rodapé das matérias. (NR).

Estimado Helio,

Estimo saber que está firme e forte na ativa, brindando seus leitores com informações de primeira. Tópicos bem focados, texto límpido e impiedoso, com os “algozes” da pátria.
Um forte abraço
Raimundo do Nascimento – Salvador – BA
...
Fernando Câmara.

Andava sumido, ou apenas isolado em Brasília. Gostei do seu texto, parabéns.
Dorival Klepper Belo Horizonte – MG
...
Helio,

Me de as dicas sobre os possíveis candidatos a prefeitura do Rio de Janeiro em 2016. Teremos algumas surpresas? O candidato do atual prefeito Eduardo Paes, teria chances?Quem você apoiaria???

Vera Lúcia Damião -  Rio de Janeiro

“Eletromania” não trouxe reflexos de celeridade

 (...) Hoje após incansável luta da OAB junto aos Tribunais, um pequeno avanço, mas ainda, distante dos discursos dos dirigentes da justiça, que prometeram ao sabor do encanto que achavam causar aos advogados, de que a proposta da forma implementada seria a ideal. Acertaram na teoria, erraram na prática, tudo porque, a exemplo de outras atitudes, se julgam senhores absolutos da verdade. 

Roberto Monteiro Pinho
30.01.15

    A lei 11.419 de 2006, que regulamentou o uso de meios eletrônicos para movimentação dos processos judiciais nas esferas civil, penal e trabalhista, em todos os graus de jurisdição, reascendeu os ânimos dos atores que buscam a celeridade processual, como forma de alcance da justiça. Essa foi sem dúvida, (ao ser anunciada) uma das mais importantes inovações legislativa, imaginando-se que os processos virtuais dariam um fôlego à máquina judiciária, capaz de influenciar a solução, se não definitiva, ao menos quantitativa e de qualidade jurídica dos processos já existentes, já que por razão da sua característica, o processo virtual, nasceria com o rótulo de celeridade.

   Mas na verdade, com todas as vênias, não foi isso que ocorreu. Ao contrário, em nada ajudou o público externo da justiça, e ainda trouxe enorme transtorno, principalmente as ações trabalhistas. A “eletromania” festejada nas mais altas cortes da justiça acenou como a “milagrosa” solução no combate a lentidão da justiça, mas não demonstra reflexos de celeridade.

   Por sua vez, apostando no êxito da inovação eletrônica, a Ordem dos Advogados do Brasil realizou a maior operação material de toda sua história, investiu milhões na aquisição de equipamentos de última geração, dotou suas subseções e escritórios de núcleos de apoio ao advogado, alem de incrementar os cursos de conhecimento e aperfeiçoamento, sobre o sistema online (PJe). Não tenho aqui o valor real do custo e do investimento desta readaptação empreendida pela Ordem, mas estima-se que a instituição investiu perto de 1 bilhão e ainda continua investindo na ”geringonça” eletrônica, totalmente confusa e de péssima receptividade.

   Hoje após incansável luta da OAB junto aos Tribunais, um pequeno avanço, mas ainda, distante dos discursos dos dirigentes da justiça, que prometeram ao sabor do encanto que achavam causar aos advogados, de que a proposta da forma implementada seria a ideal. Acertaram na teoria, erraram na prática, tudo porque, a exemplo de outras atitudes, se julgam senhores absolutos da verdade.

A Lei n. 11.280, de Fevereiro de 2006, (origem do PL 5.828/2001) deu uma nova redação ao artigo 154 do Código de Processo Civil que consagra os princípios da liberdade e da instrumentalidade das formas, permitindo a prática e a comunicação dos atos processuais por meio eletrônico. Todavia a referida lei não tratou como tais atos deveriam proceder, o legislador preocupado em regulamentar a aplicação dos atos de forma eletrônica, editou a Lei n. 11.419/06 que teve sua vigência no ano de 2007. Esta lei possui 22 artigos e está organizada em quatro capítulos.

   Referindo-se aos direitos fundamentais e a razoável duração do processo, Marinoni menciona: “Mas não há como esquecer, quando se pensa no direito à efetividade em sentido lato, de que a tutela jurisdicional deve ser tempestiva (direito fundamental à duração razoável processo – art. 5.°, LXXVIII, CF) [...]”. (MARINONI, 2010, p.139). Sem dúvida este é o sentido perseguido pelos idealizadores do PJe, ressalvo mais uma vez, “teoricamente”.

   Sua forma e meio, é que demonstra fragilidade. Ainda assim aos juízes nenhum prejuízo, serventuários idem, e os dirigentes dos tribunais e sua mais alta cúpula, menos ainda. Nem moral, nem material. Sobrou como sempre, um enorme e irrecuperável prejuízo aos jurisdicionados, principalmente advogados e litigantes, que mais uma vez, são assolados, açodados e compelidos a arcar com o custo de mais uma frustrada tentativa estatal de solução do caos que tomou conta da justiça brasileira.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

ATACADO PELA FRENTE, COM UMA FACA, POLICIAL ASSASSINA ESTUDANTE, "COM TIRO PELAS COSTAS". METADE, NO MÍNIMO DO PSDB "RENOVADO", VOTARÁ NO ARCAICO E COMPROMETIDO EDUARDO CUNHA.

HELIO FERNANDES
29.01.15

Sabidamente uma das metas de dona Dilma, é a de se aproximar dos empresários, principalmente dos banqueiros, os únicos que não produzem coisa alguma. São incluídos no que chamam de "mercado", junto com especuladores da Bolsa, que gostam de ser chamados de investidores.

Como dizia o famoso Paul Getty, acumulou fortuna jogando com ações, comprando e vendendo. E afirmou a jornalistas na época: "Ganho na alta e na baixa". Não estava mentindo.

Os banqueiros extorsionistas já receberam suas cotas nos primeiros dias do segundo mandato, Vejam os números. Cheque especial: 200 por cento. No cartão: 260 por cento. No dia a dia, simples empréstimo: 43,6 por cento. Mais de 3 e meio por cento ao mês. Quando o cidadão tem algum dinheiro para investir, recebe no máximo meio por cento de remuneração. Que República.

Petrobras

Ontem, na primeira metade do pregão, as duas ações da Petros, ordinárias e preferenciais, caíam 10 por cento cada. Foram interrompidos os negócios. Tudo especulação e jogatina. Pequenos ou até médios acionistas não tinham poder para atingir esses números. 

Operadores diziam mistificadoramente: "O impacto foi porque a direção da Petrobras não apresentou prejuízos com a corrupção". Quem pode saber? 792 milhões de dólares (o mínimo), mais de 2 trilhões, só em Pasadena. Na refinaria Abreu e Lima, como calcular perdas: Orçada em 2 BI, já está quase em 20 BI, tudo por conta dos "aditivos".

Não demora, e esses especuladores criminosos que agora VENDERAM em massa, lucrando alto, COMPRARÃO também em massa, dobrarão o lucro. Tudo planejado, sem o menor risco, Como acionistas pequenos fariam isso? No fechamento, as duas ações da Petro, caíram mais de 11 por cento cada uma.

O ex-diretor Cerveró está preso ha 10 dias em Curitiba. O Ministério Público insiste e ele recusa a "delação". Ontem, utilizaram "tática diferente". Ele foi levado oito vezes para depoimento. Não disse nada. Interrompiam, conversavam com microfones ou gravadores, argumentavam, “seria melhor para o senhor falar e ser solto”. Não aceitava, respondia: “Só falarei em juízo”.

Mas agora, seus advogados passaram, a não aceitar mais a Justiça do Paraná, mesmo sendo Federal. E afirmam: “Essa Justiça não tem competência para julgar questões ligadas á Petrobras”. No entanto até agora ainda não informaram ou mesmo sinalizaram, se contestarão a Justiça do Paraná. Só pode ser no Supremo. Mas até agora, todos que recorreram, perderam.

Surfista morto, policial assassino.

O episódio se repete, de novo só a condição do personagem atingido, 24 anos, simpaticíssimo, praticante de esporte, admirado por todos. Lugar comum o policial que mata e nada lhe acontece. O de agora, surpreendentemente “alega legitima defesa”, as autoridades (?) dão crédito á sua alegação.

Vejam só as incoerências do caso, defendidos pelo próprio policial. 1 – O surfista atacou-o com uma faca. 2 – Ficou surpreendido, “temeu pela vida”, a única opção era se defender. 3 – Deu dois tiros, praticou puro e inacreditável assassinato, sendo que o segundo tiro foi dado pelas costas.

Análise do fato com base na reconstituição feita pela própria policia á qual pertence o assassino. 1 – Nunca ninguém viu o jovem surfista armado. 2 – No treinamento, os policiais aprendem a se defender e não a matar. 3 - O ataque mais fácil de ser reprimido (a palavra está no manual) é quando o suposto ofensor está com uma arma.

4 – O portador da faca tem que chegar perto, quando estiver perigosamente perto, o policial pode paralisa-lo com um tiro na perna ou até na mão, imobiliza-lo e afastar o perigo. 5 – O policial abandonou as recomendações regimentais, atirou duas vezes no jovem, assassinou-o impiedosamente.

6 – Mas conseguiu um ângulo que não preocupa as autoridades (?) interessadas em defendê-lo. Segundo o depoimento do próprio policial, “o jovem que partia para ele, com uma faca”, de frente, foi assassinado com um tiro pelas costas. Policial assassino, cruel, selvagem, mas também mágico.

A cúpula da Policia Militar acumula casos incríveis como esse. Ha seis meses, dois policiais da mesma corporação, assassinaram uma mulher que fugia num carro, nem sabiam quem era. Igualmente desobedeceram o regulamento, que “proíbe atirar num carro em fuga”.

Existe um vídeo sobre o fato, que foi exibido vastamente na TV e internet. Investigam o fato há seis meses, nenhuma conclusão. Os policiais foram presos por causa da intervenção do Ministério Público e o espírito de Justiça do Juiz.

E a cúpula da Policia Militar continuará omissa ou cúmplice?

Placar eleitoral.

Eduardo Cunha voltou a ser o candidato mais votado para presidente da Câmara. A vantagem não é muita, mas no momento, o suficiente para colocá-lo como o terceiro personagem na linha de sucessão. Os acordos são vergonhosos, mas como a votação é aberta têm tudo para serem, cumpridos.

Quase metade do PSDB, que finge de oposição, está comprometida com ele. (Se o PSDB fosse mesmo oposição, examinaria o discurso de Dona Dilma, linha por linha, deixaria a presidente desolada e destroçada). E a outra metade, dessa mesma legenda dará o voto a Cunha, domingo. A Câmara e o país só podem ser salvos no dia seguinte, pela Lava-jato.

Renan é candidatissimo, mas ainda não apareceu oficial ou publicamente nessa condição. Se aparecer, não perde. Exatamente como Cunha, depende do referendo da Lava-jato. A eleição é domingo, a definição de Curitiba, pode se tornar pública segunda feira.

PS- Está para sair, não demora, livro interessantíssimo. Sobre árvores, Editora Réptil. Texto excelente do Ministro Joaquim Levy. Foto do ótimo Alexandre Santana.

PS2- O livro foi escrito antes dele ser Ministro. Sabe tudo sobre árvores, é apaixonado e estudioso do assunto. Mas o livro é apenas a respeito das árvores do Aterro do Flamengo, que Levy conhece profundamente, desde a raiz até á implantação e a permanência ali.

Resposta 

Vinicius Marangoni, foi ótimo você trazer o assunto a debate. Dona marta, aristocrata, carreirista, super exibicionista, só entrou no PT porque era casada com Eduardo Suplicy. Em 1994, foi eleita prefeita de São Paulo, no mesmo ano em que o marido não se reelegia para o senado, e Lula era derrotado pela segunda vez para presidente.

Fanfarrona assumiu com estardalhaço, nem ligou para as derrotas do PT. Sua administração foi medíocre, como se dizia, ela “não suportava o cheiro do povo”. Candidata a reeleição, indo mal nas pesquisas, procurou Maluf, que já era o mesmo de sempre e de hoje. Foi apoiada por ele, alijada do poder em 1998, quando o marido se elegia senador e Lula acumulava a terceira candidatura não vitoriosa a presidente.

Em 2002 novamente candidata a prefeito, foi triturada, não chegou ao segundo turno, nem adiantou o apoio de Lula que chegava ao planalto pela primeira vez. E do marido, que era senador. Ficou vagando, em 2010 chegou ao senado, com fato inédito. Eram duas vagas, os favoritos para a reeleição, Orestes Quércia e Romeu Tuma, que morreram durante a campanha.

Logo que se acomodou no senado, e já era ministro do turismo, o que conhecia do cargo, aprendido nas suntuosas viagens que fazia ao exterior, confessava: "só compro roupa nas grandes grifes da Europa", não mentia elogiava muito dona Dilma.

Voltou para o senado, ficou mais um tempo, novamente Ministra, agora da cultura. Fazendo parte do governo, mas sempre contra dona Dilma, por conta da velha rivalidade, e do ciúme que não escondia: “Quem devia ser presidente era eu e não ela”. (Dilma).

Demitida sumariamente, saiu trovejando contra o sucessor na cultura, e não poupando Dilma, dizia que fora traída por Lula.

Agora, o fim da carreira e do carreirismo. Não podendo avançar pela bajulação, se encaminha pelo ataque: “O PT muda ou acaba”. Antes do PT mudar ela vai acabar. Não ha mais saída, não devia ficar raivosa, fez uma biografia enorme. Que tirando o mal humor habitual e as intrigas, vai produzir um ótimo obituário.
.........................................................................................................................
Nossos leitores podem fazer comentários e se comunicar com os colunistas, através do e-mail: blogheliofernandes@gmail.com
As respostas serão publicadas aqui no rodapé das matérias. (NR).

Caro Helio Fernandes, escrevi em meu blog diversas vezes sobre a necessidade de um livro de entrevistas com o sr, nos moldes do "Depoimento" de Carlos Lacerda".

O sr pretende um dia conceder entrevista longa, desta natureza?

Saudações do admirador Fernando Pawwlow

PS- sentia falta de um canal de contato como este, com o sr. O blog da "Tribuna da Imprensa" faz referencias a este blog, mas me foi custoso encontrá-lo. Abraços
...
Helio,
Quem você malharia em praça pública. Cite ao menos três figuras dessas em evidência.
Geilton Torres – Niterói – RJ.
...
Señor Fernando.

Soy Uruguaio (Montevidéu), deseo lós mas contentos êxitos su periódico en la internet.
Miguel de Sierra Cortez – Uruguai


terça-feira, 27 de janeiro de 2015

CERVERÓ NÃO QUER MAIS DILMA COMO TESTEMMUNHA. E A “DELAÇÃO “?. A ALEMANHA LEMBRA E LAMENTA AUSCHWITZ, MAS “COLABOROU”. PUTIN APAIXONADO POR ATLETA OLÍMPICA.
HELIO FERNANDES
28.01.15
Lamentável. Dona Dilma desperdiçou quase 30 minutos repetindo como se fosse de improviso (até nisso engana o povão) o que liam para ela. O mesmo que repetiu na diplomação, como se fosse novo. Já disse isso no primeiro mandato, está aí “a casa desarrumada”, com o ministro Joaquim Levy anunciando “2015 teremos recessão (queria dizer contração) com ajustes e correções que estamos implantando”.

Falou sobre tudo, não como presidente e sim como bedel, “ensinando aos ministros como devem proceder em cada caso”. Tanta promoção dessa primeira reunião, primaria, desalentadora, que não merece mais perda de tempo.

O povo quer fatos, que não teve no primeiro mandato, não balelas e mais mistificação, o roteiro deste assustador segundo mandato, que ninguém sabe até quando ou até onde vai.

Auschwitz.

Os 70 anos do maior trucidamento da História, deveriam ser acompanhados por uma análise mais profunda do que aconteceu. E a razão de milhões de pessoas terem sido torturadas das formas mais bárbaras. Selvagens, cruéis e por métodos jamais utilizados. E depois de tudo, os que resistiram foram executados em câmaras de gás.

Desses milhões (vários milhões) agora são apenas 300, que contam suas histórias vividas há 70 anos. Pena que nenhum deles possa examinar de forma mais conclusiva tudo o que aconteceu, o apoio de toda Alemanha ao ditador.

E a aristocracia militar da Alemanha, a mais arrogante do mundo, se jogou aos pés de Hitler, um simples cabo na Primeira Guerra, reverenciaram e se humilharam diante deles, E completaram o arcabouço e a participação importante na maior tragédia ou catástrofe de todos os tempos.

Até hoje a Alemanha tenta esquecer a participação e a contaminação com Hitler. Pode ser que não tenham sido incondicionais, mas jamais protestaram ou tentaram resistir contra o que acontecia. Quando acabou, depois do fim da Segunda Guerra Mundial, se deram conta de que foram cúmplices em tudo, embora não estivesse em Auschwitz, deram toda a cobertura.

Em 1954, quando a seleção da Alemanha ganhou a primeira Copa do Mundo na Suíça, Beckembaur, que era uma criança quando essa monstruosidade aconteceu, não se conteve. Falou: “Puxa, essa vitória é importantíssima para nossa história, e não apenas esportiva”. Era a tentativa de recuperação.

Agora, depois da vitória na Copa de 2014, chegaram na Alemanha e fizeram gozações irônicas e desastradas, com a Argentina, derrotada na final. Precisou que Angela Merkel viesse a público, recriminando a “brincadeira”.

Ela também não era nascida, mas tem a noção de como é frágil o passado da Alemanha. Pediu desculpas á Argentina. Os jogadores compreenderam, “lamentaram o que haviam feito”. Já começavam rumores de que a Alemanha esquecia o seu passado. Acabou tudo, felizmente.

Putin: Raivoso e apaixonado.

Ha mais de 1 ano, vem levando a população da Ucrânia ao desespero, montando uma operação para se fortalecer politicamente. Com isso levou a Rússia a beira da falência, o que vem se agravando terrivelmente com a queda violenta do preço do petróleo.

Vem em linha reta da KGB, o órgão de tortura da União Soviética. É um ditador e um aproveitador nato. Não sai do poder, passa de presidente a Primeiro Ministro, de Primeiro Ministro novamente a presidente, na Rússia não há reeleição.

Agora, deu entrevista coletiva, com uma confissão interessantíssima: "Estou apaixonado por uma atleta Olímpica". Um jornalista perguntou: "E ela?" Resposta: "Está apaixonadíssima por mim". Curiosidade: Putin acabou de completar 61 anos, a atleta Olímpica tem 31. Ela já confirmou: "Encerrará a carreira Olímpica em 2016 no Brasil". Começara uma outra na própria Rússia?".

Dilma não é mais testemunha.

O ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, preso e indiciado pela lava-jato, apresentou varias testemunhas, como manda a lei. As pessoas apontadas, podem protestar contra a convocação, mas não podem recusar. Assim como foram chamadas, podem testemunhar contra o próprio acusado, apresentar dados e revelações que o comprometam ainda mais.

Só que no caso Cerveró, a presidente Dilma abria sua lista de indicados. O interrogatório de Cerveró ainda não chegou a Pasadena, o grande objetivo com a sua prisão. Já mostrei aqui: os investigadores da Policia Federal e do Ministério Público Federal, esperam que Cerveró entre como personagem da "delação". Ele se recusa, mas os depoimentos vão sendo adiados, acreditam que "a resistência dele, tenha fim".

Ontem, surpreendentemente e sem nenhuma explicação, Cerveró retirou Dona Dilma da condição de testemunha, com justificativa inacreditável e incompreensível: "Ela não sabe nada sobre Pasadena". Como justificar a retirada do seu nome e principalmente a tentativa de inocentar Dona Dilma?

A atual presidente, ex-ministra de Minas e Energia, Chefe da Casa Civil e presidente do Conselho da Petrobras, estava mergulhada obviamente no que aconteceu em Pasadena. Mas ela veio a publico confirmar a própria participação em tudo, e procurando incriminar duramente o próprio Cerveró.

Basta lembrar a declaração dela: "Só assinei a autorização para a compra da refinaria, porque o relatório do Diretor Internacional, Cerveró, era falho e sem informações”.

Impossível  esclarecer o recuo ou retrocesso de Cerveró. Não o favorece em nada. Nem podia acreditar que fosse se favorecer, porque mesmo sendo o presidente da Republica não tem interferência nem influencia com o que se passa no Paraná. 

De qualquer maneira, a repercussão negativa para Dona Dilma é muito grande. Seria esse o objetivo de Cerveró? Corruptos, corruptores, inocentes ou acusados, todos "maquiavélicos".

Placar Eleitoral.

Eduardo Cunha não é mais favorito, embora não esteja numericamente derrotado. É a grande oportunidade de ser presidente da Câmara. Eleito estará como o terceiro colocado na linha de sucessão. (Depois de Dilma e Temer).

Se perder voltará para o plenário da Câmara, será mais um lobista ignorado. Por isso comete os maiores disparates, como a distribuição de um vídeo, "gravado por ele, contra ele". É desespero. 

Julio Bueno, sem chances, está admitindo renunciar, não tem o total dos votos do próprio partido, mas o constrangimento é chegar depois de Chico Alencar. PSOL, um partido com cinco deputados.

Se a oposição (PSDB) votar em massa em Cunha, não precisa nem de eleição. Basta apenas o "nada consta" do lava-jato.
 ...........................................................................................................................................
Nossos leitores podem fazer comentários e se comunicar com o colunista, através do e-mail: blogheliofernandes@gmail.com
As respostas serão publicadas aqui no rodapé das matérias. (NR).

Helio Fernandes.
Leia esse texto que versa sobre o voto censitário. Se puder comente em uma oportunidade.
A primeira eleição no Brasil foi inspirada nos princípios do liberalismo, e ocorreu para a escolha dos representantes brasileiros às cortes de Lisboa, em 1821. Em 1824, já independente de Portugal, o Brasil formulou sua primeira Constituição – o conjunto de direitos e deveres dos cidadãos. Essa Constituição instituiu o chamado voto censitário, que continuava impedindo a grande maioria do povo de participar da vida política. De acordo com a lei, o direito eleitoral dependia da renda da pessoa: para votar era preciso ter renda anual de pelo menos 100 mil réis. Para ser candidato, a renda anual deveria ser de 400 mil réis para deputado e 800 mil réis para senador. Esses valores eram muito altos para a maioria da população. Somente os ricos podiam votar e ser eleitos.
Então nobre jornalista, o Brasil até mesmo para escolher seus representantes no Congresso já estava aliado ao capital facínora.
Jose de Euclides e Rosa – São Luiz – MA
Ao Helio,
Meus cumprimentos.
Estou passando aqui, para lhe dar a maior força. Mas gostaria que falasse mais sobre a estranha aliança de Martha Suplicy e Maluf em São Paulo. O que acha que rolou ou rola ali?

Vinicius Marangoni – São Paulo - SP