Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Temer: a obsessão das viagens, e o desprezo e desinteresse para governar

HELIO FERNANDES
Parece e acaba sendo mesmo um objetivo: ficar o maior tempo possível fora do país, por causa da impopularidade que não diminui. Quando era indireto-provisório, se desgastava e se desesperava, não podia sair e mostrar essa condição não conquistada e sim "conseguida" com a conspiração parlamentar. Comandada e transformada em vitoriosa, pela astucia, a falta de caráter e a indignidade do parceiro e amigo, Eduardo Cunha.

Empossado como indireto sem prazo de permanência, apesar de ser o primeiro na Historia do Brasil, a utilizar, simultaneamente, 3 palácios presidenciais, se desligou ainda mais do interno, para planejar e se exibir no externo. Horas depois de implantado já estava no avião, para uma viagem de 20 horas até á China.
Preferia os EUA, mas o G20 era a primeira oportunidade.

Depois a ONU, a decepção anunciada, mas com enorme propagação nas televisões do Brasil. E aí, começaram as desilusões e os vetos, dos próprios assessores. Queria ir á Colômbia, para a assinatura do acordo Farcs-governo. Insistiu, acabou não indo. Ficou irritado, mas não foi.

Ontem quinta, teve um desgaste com Serra. Este decidiu viajar para 
Israel, no enterro, hoje, do estadista e notável figura Shimon Peres. Temer disse "também vou", Serra afirmou que iria sozinho, o Premio Nobel da Paz também foi Ministro das relações Exteriores. Mais um veto. 

Segunda feira, depois da eleição, Temer vai á Argentina. Rodrigo Maia, ansioso, não sabe se assume. E dentro de duas semanas, estará indo ao Japão. Aí, serão 5 dias.
Por causa dessas ausências, como contei ontem com exclusividade, Aécio exigiu a presidência da Câmara para o PSDB. E já tem até candidato, o líder do partido, Antonio Imbassahy. Para 2017, fevereiro. Ficará na presidência da republica, como substituto, varias vezes. 

Sem plano e sem projeto de governo

Vai governando (?) aos saltos e sobressaltos. Contestado e contrariado pelos mais diversos ministros, localizava o problema na falta de um porta-voz. Mediocridade,
incompetência, imprudência. Inventou uma porção de problemas que precisava solucionar, foi rotulando das formas as mais diversas. Não votou e lógico, não aprovou nenhum. Alguns nem enviou, todos foram PRORROGADOS. Vejamos os nomes desses projetos, importantes, mas todos sem estudo, sem base, tudo improvisado.

Reforma Trabalhista
PEC do teto de gastos
Reforma da Previdência
Modificação do Ensino Médio

E varias outras ideias, que nem chegam ao Congresso. Ou então chegam, através de Medida provisória, de forma incompreensível. E que já será modificada.
Deixei para tratar separadamente da "repatriação do dinheiro", que está indevidamente no exterior. Já foi modificado e também prorrogado, por causa de interesses particulares e rigorosamente pessoais. Inicialmente o projeto ficou "limpo", dinheiro "sujo" não poderia ser beneficiado. Está parado, por causa da disputa entre os que só aceitam a volta de dinheiro explicado. O que é impugnado por deputados corruptos, em maioria.

Com tudo isso, o indireto tem uma super avaliação sobre ele mesmo. E afirmou numa entrevista na televisão: "Mesmo que eu termine o governo com 5 por cento de popularidade, mas consiga SALVAR O PAÌS, ficarei bastante satisfeito". Está bem perto de chegar a 5 por cento de popularidade. Mas bem longe de salvar o país. Que não vai aquentá-lo ou suportá-lo por muito tempo.

O TSE já deveria ter cassado Temer. Junto com Dona Dilma. Mas o indireto é protegido pelo Ministro Gilmar Mendes. Bizarro presidente do Tribunal.

Meirelles, o falastrão

Ainda não conseguiu nada de positivo ou pelo menos esperançoso. Mas vai prometendo e até garantindo. Semana passada: "Empresários e consumidores, se mostram confiantes no governo". Ontem repetia o que já disse duas vezes, só mudou as datas: "Esperamos fechar o texto da PEC dos gastos, na segunda ou terça feira". E acrescentou: "Estamos confiantes na aprovação das propostas". Existem muitas restrições. Depois, reafirmando: "Controle dos gastos são (sic) o pivô das mudanças".

O Ministro ficou irritado com as mudanças acontecidas na reunião do Conselho do Pré Sal. Motivo: ele esperava que a Petrobras, ficasse completamente fora da exploração e comercialização do Pré Sal, como vem ocorrendo. Só que o Conselho, em plena discussão, manteve a Petrobras com participação total. Ou seja, foi jogada fora a proposta do senador, agora ministro, José Serra.


 E para terminar a infelicidade do Ministro, (esta com tom pessoal), ficou assombrado, quando soube: a China cortou radicalmente, toda e qualquer importação de frango da JBS, envolvida em corrupção nos 4 maiores Fundos do Brasil. A China era a maior importadora, o prejuízo será grande.

E o Ministro sentiu-se atingido. Ele era o poderoso presidente do Conselho de  
Administração da JBS. Quando era identificada, como "a maior empresa do Brasil". E foi nesse cargo, que conheceu Michel Temer, ainda vice "decorativo", na sua própria avaliação. (Por enquanto, tudo exclusivo).  

 "Tropeço da democracia" e Lava Jato

Os que acompanham este blog, sabem: assim que houve o "fatiamento" da votação do impeachment, escrevi: "Foi esdrúxulo e extravagante".48 horas depois o também Ministro Gilmar Mendes, disse publicamente: "Foi no mínimo uma decisão bizarra". Comentei: "È lógico que haverá desdobramento". Era o obvio. Começou na USP, numa aula do Ministro Lewandowski. Textual: "A cada 25 ou 30 anos a democracia brasileira, sofre um tropeço". E chamou de lamentável. É evidente que se referia aos 2 processos de impeachment.

O Ministro Gilmar Mendes, que tem deixado os "data venias" de lado, respondeu ontem: "O tropeço da democracia não foi o impeachment, e sim o fatiamento da votação”. Como esse "fatiamento"só ocorreu com autorização de Lewandowski,as divergências estão acumulando.E os Ministros cada vez mais pertos.Os dois estão na Segunda Turma,Lewandowski substitui Carmem Lucia.

Hillary-Trump

O candidato registrado pelo Partido Republicano, mas repudiado pela própria legenda, tem conversado com amigos sobre o debate. Não reconhece a derrota,mas diz,"isso é coisa da NBC".Quis se referir ao canal que transmitiu com exclusividade,pelo fato do mediador ser da própria NBC".

(A BBC, que transmitiria o encontro, se fixou na assinatura do acordo Farcs-Governo da Colômbia, durante horas, sem interrupção). Trump tem dito: "Deixei de lado a defesa das minhas posições, não quis ser agressivo. Mas esperem o debate do dia 9 de outubro, e reencontrarão o Trump, que tem conquistado o eleitorado”. Como ele recomenda, não percam.

Lava-Jato

Não pode ficar longe do noticiário. No fim da quinta feira, ontem, e de setembro, o Procurador Geral da Republica pediu ao Ministro Zavascki, o desdobramento (fatiamento) dos processos a respeito de parlamentares do PP, PT e PMDB. Da Câmara e senado. Por enquanto esses partidos, têm praticamente 100 parlamentares envolvidos. O PP foi que começou tudo, com o maior numero de acusados.

Só que o Procurador Geral quer agilizar os processos, mas incluir outros partidos. O PSDB não está tranqüilo. Seu presidente foi acusado de ter recebido 10 milhões, das propinas da Petrobras.

Como havia morrido, pararam. Mas agora existem pelo menos indícios fortes de que o partido tinha conhecimento ou participação. No PMDB, a divisão dos processos, um estrondo. É que o PMDB é muito grande e com personagens, "abaixo de qualquer suspeita".

PS- No momento de começar o ultimo debate, hoje, quinta, na TV Globo, os candidatos principais não terão posição alterada. Crivela continuará liderando. Muita diferença na frente.

PS2- Freixo e o candidato de Paes, disputam o segundo lugar, bem longe. Mas segundo turno é outra eleição. Será um festival de baixaria.


quarta-feira, 28 de setembro de 2016


Eleição: baixaria no Rio e em São Paulo. Shimon Peres, o estadista, Premio Nobel da Paz

HELIO FERNANDES
E também, quase sem exceção nos outros 5 mil e 500 municípios. Poderia e deveria ser o caminho da recuperação da política e o desprezo pela politicalha. Mas aconteceu exatamente o contrario. Os velhos, viciados e contaminados políticos que arruinaram e continuam arruinando o país, deixaram por instantes o conforto das mordomias que dominam a vida inteira. E foram momentaneamente intervir nas eleições municipais, para garantir e consolidar o poder que exibem.
Tudo começa pelo município, muitos prefeitos e vereadores, se transformam em potentados. Quando chegam ao plano nacional, esqueceram das origens. Voltam, como está acontecendo agora, "pilotando" carreiristas de vôos mais curtos. Os patrocinadores, quase todos, sonhando com 2018. E como os nomes mais conhecidos estão no Rio, São Paulo e Brasília, participam inteiramente de Rio e São Paulo, já que Brasília não tem vereadores.

Em São Paulo, o maior município do país, se encontram ex-presidentes, presidentes no poder indireto, outros que pretendem o poder em 2018. Todos sem o mínimo de convicção. FHC, Aécio e Aluizio Nunes Ferreira, vetaram João Doria, "ele não é do partido". Apoiado pela maquina eleitoral, veio do ultimo para o primeiro lugar, frustrando os três.

Apoiado exclusivamente por Alckmin, candidato já lançado para 2018, tremeram e se assustaram. Mudaram logo de posição, garantiram apoio a Doria. Não podem favorecê-lo, tentam prejudicar o governador, no momento e certamente no futuro.

A outra candidata marionete meteoro, é Marta Suplicy. Condenada pela incapacidade do passado, que ninguém esquece. E pela traição do presente, que está visível, pretende voltar á prefeitura 16 anos depois do primeiro fracasso, e 12 depois da primeira derrota. Para isso, se juntou a Temer - PMDB, e Serra-PSDB. Pessoas e partidos, que sempre foram adversários e até inimigos. O cidadão paulista, satisfeito, se reabilita, acertando em parte, pelo menos.

No Rio a baixaria é igual. Só Crivela, derrotado duas vezes, garantido para o segundo turno. Os outros, agrupados, tentam disputar com ele. Mas perderão, mesmo, até o Freixo e o PSOL. Não é nada satisfatório, admitir Crivela prefeito de uma cidade como o Rio.

"Bispo" da igreja universal, diz publicamente: "Estou me separando da universal, para não perder o voto das outras religiões". Como votar num candidato, que mente para aumentar a votação? E que disputa com Pedro Paulo, muito conhecido por bater na mulher.
A campanha eleitoral termina hoje, quinta. A eleição será domingo. Não demora para o eleitor se decepcionar. Esperava da mesma forma que este repórter, uma razoável renovação. Que não haverá de jeito algum.

O PSDB exige a vice presidência em 2017

Os problemas políticos aumentam cada vez com mais intensidade para o presidente indireto. Mas anteontem surgiu outro, inesperado e gravíssimo. E que vou contar com EXCLUSIVIDADE. Aécio Neves telefonou para Temer,"preciso de uma audiência".Era brincadeira,é recebido á hora que quiser.Marcaram no Jaburu,um dos três palácios  á disposição."Trabalho,residência e encontros especiais. E o Alvorada, onde recebeu mais de 50 pessoas, sentadas  num ridículo,vasto e distante semicírculo.

Aécio não perdeu tempo: "È questão fechada para o partido, queremos eleger o presidente da Câmara em Fevereiro, quando acaba o mandato de Rodrigo Maia”. O presidente indireto, surpreendidissimo, fingiu que não era exigência, respondeu, "falta  muito tempo, dá para conversar" .  
  
Aécio, certo que estava lá para comunicar e não reivindicar, explicou e informou: "Já temos inclusive um nome que une o partido, líder na Câmara, Antonio Embaça”. E já se levantando para ir embora,acrescentou:"Como ele será vice presidente quando você viajar, fique tranqüilo, ele é altamente respeitável e confiável".E foi embora.

Temer ficou sozinho, sem saber o que fazer. O "centrão" pretende o cargo, que alem de importante por si mesmo, tem uma outra atração: a vice presidência da Republica interina, varias vezes durante 2 anos. E esse agressivo "centrão" também tem nome escolhido. È o deputado Rogério Rosso, derrotado por Rodrigo Maia.E que não esconde:"Fui derrotado pelo governo".

Shimon Peres, estadista

Depois do deplorável episodio de 1948,quando a ONU criou o Estado de Israel, e se rendeu a interesses escusos e conhecidos, "esquecendo" do Estado da Palestina, que teria evitado estes 68 anos de luta inglória, um homem se transformou em gigante e estadista: Shimon Peres, cuja morte choramos, no momento em que nos deixa.

Judeu, Primeiro Ministro de Israel, apaixonado pelo país, dedicou a vida a tentar conciliar e unir Israel e Palestina. Seus encontros com o líder Arafat, foram manchetes durante anos e anos. No mundo todo.Estadista,Primeiro Ministro notável,Premio Nobel da Paz, andava na rua, sem segurança.E isso dos dois lados.Caminhava sem risco, abraçado por todos,nas ruas que deveriam constituir o Estado da Palestina.Não foi derrotado.É que vivemos num mundo, onde não ha espaço para a grandeza, o desprendimento, a solidariedade.  

 O Supremo mais uma vez não decidiu. Palocci vai depor

Está decidido desde fevereiro, e com recurso tentando a quase impossível modificação. Ha 3 meses.Sofrendo uma grande ofensiva para mudar, resistiu.Aparentemente podia entrar na pauta de ontem, quarta feira, não entrou.Julgaram uma questão que de maneira alguma deveria chegar ao âmbito do mais alto tribunal.

Dizem que haverá sessão hoje, quinta, com o julgamento tão esperado. Nem acredito.Antes da sessão,o Ministro Celso de Mello mandou para a Justiça Federal,(Curitiba) os processos sobre Eduardo Cunha, André Esteves e Leo Pinheiro, da empreiteira roubalheira.

O ministro Zavascki, atropelado com tanto processo da Lava-Jato, foi sorteado como relator de questão importante: "O SUS deve fornecer remédios caros e que salvam vidas de aposentados, por serem muito caros e até importados”. Pediu tempo.È prioridade absoluta, Ministro.E é imperioso votar a favor, não se espera outra coisa de um magistrado como o senhor

O ex-ministro Palocci será ouvido hoje á tarde, quinta, pelo juiz Sergio Moro. Ontem, seus advogados passaram o dia conversando sobre eventual pedido de libertação. Concluíram que perderiam, decidiram esperar outra oportunidade.Eike Batista,Eduardo Cunha e Palocci, deviam agradecer: todo o tempo que ficaram em liberdade, já foi lucro.E continua sendo Injustiça, os outros não estarem presos. 

Problemas ou soluções para Temer

Não está encerrada a questão criada pelo carreirista e falastrão, Alexandre Moraes. Quando foi indicado para Ministro da Justiça,comentei que era um absurdo.Bastava conhecer seu passado de secretario de segurança de SP.Não saía das manchetes, e nos intervalos, mandava bater nos estudantes.

Como Ministro é um doidivanas, se julgando personagem importante. Agora com o adiantamento(vazamento voluntario)de informações sobre a Lava-Jato,devia ter sido demitido imediatamente.O presidente indireto, comentou.:Ele terá uma segunda chance".Por causa de auxiliares como ele,é que Temer procurava um porta-voz.

Parece que achou, um diplomata, que se chama Guido Parola, que pelo nome não se perca. Foi indicado, vá lá, sugerido,por FHC.Dessa mesma fonte, saíram o presidente da Petrobras,Pedro Parente.E o Embaixador nos Estados Unidos,  Sergio Amaral.Se criarem uma Comissão de Desestatização, FHC indica todos os nomes.E obrigatoriamente,tem que ser consultado.

Registro e constatação: esse porta-voz jamais falou com Temer ou pelo menos com quase todos os ministros. Sua especialidade na diplomacia, não é  a Comunicação.E como acreditar na missão que terá, se o próprio presidente não cumpre a palavra empenhada. 

Um só exemplo: Temer afirmou, que nenhum Ministro ocuparia "Conselho de estatal". Pois Eliseu Padilha acaba de ser nomeado para o Conselho da Camex. (Importação e Exportação). Jeton de 12 mil reais mensais. Como poderá conciliar a Chefia da Casa Civil com a Camex? (Exclusivo).

PS- Manchetes de jornais, matérias de televisão: "Milícias cobram para candidatos fazerem campanha nas áreas controladas". Que são enormes. Conheço pessoas que moram nesses lugares, principalmente Jacarepaguá que é um bairro ótimo.

PS2- Satisfeitíssimos, não reclamam nem pagam nada. Só cobram de empresários, comerciantes, fornecedores os mais diversos. Um morador me disse: "No verão durmo com a janela aberta, deixo a chave do carro lá mesmo".

PS3- È a bandidagem, substituindo o estado, corrupto, displicente e incompetente.

PS4- Noticia alvissareira para os jornalistas. A Associação Nacional e Internacional de Imprensa – ANI, com pouco tempo de existência, demonstra comprometimento na defesa das prerrogativas dos jornalistas. O seu assessor jurídico, o advogado Ricardo Braga França, ingressou com quatro ações indenizatórias contra a concessionária do Metrô do Rio de Janeiro, por conta de agressão sofrida pelos fotojornalistas na Gare da Uruguaiana no Rio, na véspera da realização da Olimpíada Rio 2016.

PS5- Os danos foram graves, ocasionando o registro policial e exame de corpo delito, cujo laudo vem acusando várias feridas derivadas das fortes agressões sofridas. Na época as redes sociais e jornalões deram a notícia.

PS6- As audiências de conciliação acontecem respectivamente nos dias 7, 10, 13 e 17 de outubro deste ano. A denúncia chegou ate a ANI, através do seu Plantão das Prerrogativas, que atende associados e não associados. Uma gratificante iniciativa inédita no segmento profissional.


PS7- É profícuo saber que agora nossos dedicados colegas que atuam nos mais diversos eventos da cidade, exercendo seu trabalho profissional, por seguinte, o seu direito de liberdade de imprensa e expressão, contam com o apoio da instituição.
FIM DO PT FOI DECRETADO PELA PÉSSIMA CONDUÇÃO DA PRESIDENCIA COM DILMA. DOS 5.565 MUNICÍPIOS, O PT DE LULA NÃO ALCANÇARÁ 1%. NAS CÂMARAS O FIASCO SERÁ MAIOR. A ELITE VAI BEM E AGRADECE.

ROBERTO MONTEIRO PINHO

Em junho de 2013, milhões de brasileiros foram às ruas e coalharam as capitais e cidades do interior dos estados, com presença de vários segmentos da sociedade. Não tinha bandeira partidária, políticos e a principal palavra de ordem foi “vocês não nos representam”.

O recado dos brasileiros foi para todos: esquerda, direita e os mentirosos que infestam a máquina pública principalmente o estado juiz, e servidores públicos. Não foi uma manifestação capitalista, sequer de contexto partidário. No movimento uma só voz, indignação e BASTA!

Em que pese o episódio do mensalão, Lava-jato, as denúncias contra os mais respeitáveis (dito) homens da nação, de FHC a Lula da Silva, Dilma Rousseff, Eduardo Cunha e todos demais envolvidos.

Não resta a menor dúvida que as eleições que se aproximam, será um marco para definir se o brasileiro sabe ou não votar. O esvaziamento do pleito, e visível nas ruas, e as discussões não mais fervilham com questionamento ideológico. Eis que nada sobrou, sobre esse histórico instituto, que tanto levou a revolta popular se insurgir com os desmando do estado.

FHC cinicamente e com apoio deliberado do Congresso entregou o país, de forma tão acintosa, que repete sua façanha como se fosse um herói às avessas. Lula da Silva, decepcionou, permitiu e omite a verdade. Trabalha com discurso de divisão de classes, retórica, mas eis que cansada, usual e personificada.

Não tem mais o apelo social, oposicionista. Seus comandados (poucos que restam) ainda falam em GOLPE, e ao que parece, desconhecem que o golpe foi dado de todos contra todos e a própria comunidade.

A onda da maldição corrupta ainda ronda o país. Em 2012 o espertalhão Eike Batista assumiu um grande contrato milionário com a Petrobras juntamente com a Mendes Júnior. E segundo se apurou, a pedido de Guido Mantega. Na época ele efetuou o pagamento de propina de R$ 4,7 milhões para quitar dívidas de campanha, segundo já amplamente divulgado na mídia (de 2010, possivelmente) do PT.

Está claro nos depoimentos da Lava-jato em Curitiba, que o dinheiro foi operacionalizado por Mônica Moura, mulher do marqueteiro João Santana. Houve um contrato falso (simulado) de prestação de serviços entre eles. Mas, na verdade, o dinheiro era para cobrir rombo de campanha.

Enquanto Mantega foi liberado prontamente por razões humanitárias (ele estava no hospital para acompanhar sua esposa em uma operação). Já Lula, com a inexplicável e vergonhosa propina de um triplex no Guarujá em São Paulo, e levado, compulsoriamente para depor. Um descuido, nada saudável para a consistência da condução do processo criminal.

Neste momento (de fonte limpa), especula-se uma possível delação premiada. Guido está para o PT como o Cunha está para o PMDB. Seriam duas delações bastante explosivas. Mas não se sabe ainda qual a razão pelo qual esses atores não “abrem o bico”. Enquanto nos governo do PT com Lula e Dilma, as propinas na Petrobras envolviam os três partidos, PT, PP e PMDB.

Inquietante, (está sob a neblina) que cerca a operação, em dois anos de Lava Jato o STF até agora só recebeu três denúncias. E duas agora contra Cunha foram redistribuídas em razão de ele ter sido cassado e perdido o foro privilegiado.

No STF a mais alta Corte do país, desenhou-se um quadro débil, vergonhoso, capcioso e recheado de insegurança, com perda de credibilidade. A morosidade soa como proposital, para levar o processo a perda de objeto, a prescrição e vícios insanáveis. A resposta está na opinião pública, o judiciário despencou na credibilidade.

O país está navegando em “águas turvas”. Não temos um Supremo consistente e vigilante, Congresso a beira do ridículo (contaminado em sua maioria), executivo dilacerado, desacreditado e sem a representação dignas da flama nacionalista. O festejado líder popular, Lula, é hoje uma caricatura daquele que o povo imaginou ser.

O pouco que ainda resta, estará nas urnas de outubro, que dirão sim ou não a corrupção. Fosse isso na China ou outra nação de plano rigoroso no combate a corrupção, todos estariam fuzilados. E a bala seria cobrada da família dos criminosos.

Neste momento o nacionalismo, está abandonado, a vergonha se tornou suportável, e instalou-se a cultura de que roubar pode dar certo.

A autodenominada esquerda não existe de fato. As cores são vermelhas, mas o sangue e duvidoso. A oposição negocia descaradamente. A composição do governo Temer nos três escalões está com figuras “carimbadas” da vida púbica. O alento pode ou não fazer parte de um acordo de compadres, mas eles estão nos cargos e isso é o que importa.

No palanque das eleições no Rio de Janeiro a candidata a prefeitura, Jandira Feghali (PCdoB), tinha 7% nas pesquisas, Lula e Dilma subiram no palanque das Cinelândia, na pesquisa seguinte caiu para 5% e oscila. O PT das 5.565 prefeituras que estão no jogo do pleito o PT não faz mais que meia dúzia. Um final melancólico, para um partido que se impôs como a vanguarda, o partido popular, com num plano para eliminar as diferenças sociais.

No Ibope, Crivela (PRB) tem 35%. Bem abaixo Pedro Paulo (PMDB) aparece em segundo com 11%.


Hoje as minorias estão no alento, e a elite governo livremente, ocupando um espaço deixado pela incompetente, ruidosa, rude e desarticulada Dilma Roussef. Coube a destrambelhada política, mandar para o esgoto, o sonhado plano de poder dos petistas boquinhas.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

O TSE completa o roteiro da eleição indireta. O Supremo sob pressão

HELIO FERNANDES

Exatamente ha 8 meses venho apoiando o TSE, na obrigação de investigar os gastos com dinheiro de propina, na campanha presidencial. As provas são e sempre foram concludentes. Dilma-Temer, acusadissimos, não negaram, apenas mistificaram. Ou melhor, mentiram, sendo que Temer duas vezes. Dilma se refugiou no lugar comum, utilizado também por outros partidos: "Todos os gastos foram legítimos e registrados no Tribunal Eleitoral".

O vice na chapa, Michel Temer, usou o mesmo chavão. E apresentou outro, também inócuo e sem credibilidade: "As campanhas de vice e presidente, são inteiramente separadas, tudo que gastei está declarado no Tribunal Eleitoral". Mas imediatamente contratou advogados para referendar a afirmação. Não precisava, a ajuda estava no próprio TSE.

Nos primeiros 3 meses, o presidente era o ministro do Supremo, Dias Toffoli. A partir de maio, 5 meses, foi SUBSTITUIDO, até agora, pelo também Ministro do
Supremo, Gilmar Mendes. A colocação da palavra substituído é uma traição verbal, os dois são rigorosamente iguais, pensam (?)  da mesma maneira.

Não vou repetir tudo o que já escrevi nesse tempo todo. Apoio incondicional á eleição direta, mesmo desconfiando de que estavam desperdiçando tempo irrecuperável, e não por acaso ou excesso de trabalho. A cassação ou confirmação de uma chapa presidencial, prioridade absoluta. Agora, o tempo se esgotou ultrapassada a primeira metade do mandato, eleição só INDIRETA, em 2017.

Satisfeito, compenetrado e autoritário, ouvidas anteontem duas testemunhas, que confirmaram sem hesitação: "A campanha da chapa Dilma-Temer, foi conjunta, financiada com dinheiro de propina". Temer, já citado por delatores, é agora acusado por testemunhas.

Tremam, cidadãos. Se Gilmar não conseguir salvar Temer, haverá novo "presidente" escolhido pelo congresso. A satisfação de Renan Calheiros, impressionante. Ele simboliza e representa tudo o que ha de mais repulsivo, contra a Lava-Jato. Portanto, fica na vez, vitoriosa, a bizarra manipulação do presidente do TSE.

 Do TSE para o STF

O Ministro Teori Zavascki tem sido irrepreensível. Prestigia com total isenção, a Operação Lava Jato. Mas ás vezes, é muito lento. Sei que tem bastante trabalho. Mas em alguns casos, é só autorização. Na semana passada, depois de 4 meses, autorizou investigações PRELIMINARES, a respeito das denuncias e revelações gravadas pelo corrupto Sergio Machado
Envolvia poderosos personagens. E não por "ouvir falar",mas de viva voz,tudo bem gravado, realismo.E se eram investigações preliminares, ninguém seria prejudicado,atingido na sua honra.

Sem terminar, mas preocupado com a relevância que o mais alto tribunal tem que exercer, acompanho, desde fevereiro, a decisão sobre réus condenados pela segunda vez. Foi admirável. Antes ficavam em liberdade, mesmo condenado a mais de 12 ou 15 anos. Só servia a ricos e poderosos.Pagavam grandes mestres do  direito, ficavam em liberdade, eram"absolvidos",o crime ou crimes, prescreviam.Nunca foram defendidos por meros causídicos.

Hoje, a questão sob formidável pressão, está na pauta. Querem a revogação completa da decisão de fevereiro. Mas como existe grande constrangimento, admitem que pode ser mantida a decisão anterior, sem a característica de JURISPRUDENCIA. Assim cada juiz ou Ministro, pode cumprir ou deixar de cumprir, o que o Supremo decidiu por 7 a 4. Faltam poucas horas.

Devedores e sonegadores

A Receita Federal é implacável com os que trabalham para sobreviver nesse caos e terremoto que é o Brasil de 12 milhões de desempregados. È compreensiva e até protetora com os empresários,que ganham muito e querem mais ainda.Empresas com 1 ou 2 trabalhadores, recolhem o imposto chamado de "Simples".Com a crise se complicando, essas micro empresas não resistem,não têm dinheiro para nada.
A Receita autuou 716 dessas micro. Juntas não pagaram
 23 milhões e 800 mil reais. Na media,13 mil num ano, mais ou menos mil reais mensais.Quem não recolhe essa importância, é porque não tem mesmo.

Agora os escândalos de bilhões, que a própria Receita tenta contornar com proteção. A JBS se apropriou de bilhões dos 4 maiores Fundos estatais. Prejuízo de 80 bilhões, sendo que 8 bilhões da JBS.Apanhada em flagrante pela policia,fez acordo:depositou quase 1 BILHÂO e 500 MILHÔES para se  defender.

A multiplica e poderosa Gerdau, sonegou não se sabe quanto. Flagrado pela policia, até seu presidente foi preso. Ainda continuam negociando. Um Gerdau pertencia ao conselho da Petrobras, no escândalo da Petrobras, que realizou a compra tumultuada refinaria de Pasadena. Com prejuízos não avaliáveis.

O arrogante Bradesco, que indica até ministros da Fazenda, sonegou 4 bilhões. Tentou negociar, trocando a divida por propina.No CARF, envolvido em tremenda corrupção.Até o presidente do Bradesco, o notorioTrabuco participou de tudo.Tremenda divisão interna no banco.

 O Canal Bloomberg revelou: "Haverá modificação na cúpula do Bradesco”. Silenciaram.Mas o presidente Trabuco, que adorava aparecer sob holofotes,"aconselhando"sobre a recuperação da economia,despencou para o ostracismo.

(Rigorosamente exclusivo. E os personagens, intocáveis para os mais diversos órgãos de comunicação)

Pesquisa sobre o debate Hilary-Trump

Erros, equívocos, interesses pessoais, partidarismo. Tudo isso influiu,negativamente no que foi publicado como "resultado", do primeiro encontro entre os dois candidatos.Quem ficou mais distante da realidade:o respeitado CNN.Anunciou 69 por cento para Hilary, 27 para Trump.Não existe uma só possibilidade dessa diferença ter sido verdadeira.A não ser que tenham assistido outro debate,inteiramente diferente.

Outros jornais dos EUA também opinaram sobre a pergunta, quem "venceu o debate”, preocupação geral. Estabeleceram vantagem para Hilary,menor, mas colocaram ela como vencedora.Se eu fosse eleitor nos EUA, com esses nomes, nenhuma duvida: votaria em Hilary.Não exatamente por ela,mas totalmente pelo que ele representa.

Assisti o debate, ouvindo e escrevendo imediatamente. Minha definição era instantânea, a respeito da fala dele e dela.Fosse pergunta ou resposta.O  encontro acabou ás 23,5.Exatos 15 minutos depois já havia enviado a matéria com a conclusão, que repito para quem não viu:"Por causa das regras estreitas e estritas,não houve nocaute.Empate em pontos, talvez ligeiríssima vantagem para ela".

A eleição dos EUA não se decidirá nos 2 debates que faltam. E sim nas ruas, nos encontros, em outros aspectos. Os indecisos ou que assim se apresentam, são  mais ou menos 10 por cento:Hilary será a sucessora de Oba ma.Até mesmo por ter o apoio dele.
E não custa lembrar os imprevistos. Em 1992 se enfrentaram num debate,George W.Bush e Al Gore.O primeiro, na opinião geral, ganhou.Na eleição, Al Gore teve 537 mil votos a mais. Quem tomou posse e presidiu o país por 8 anos foi Bush. Motivo:o irmão, Ted Bush ,governava a Califórnia, e garantiu o numero de Delegados suficiente para mandar o irmão para a Casa Branca.

Carandiru (Exclusivo)

Depois de 24 anos do massacre que leva o nome do local, ontem, o Tribunal de Justiça de São Paulo ANULOU o processo contra 74 policiais. Em 1992, em Carandiru, foram mortos 111 presos. Foi terrível e até hoje, lancinante. O secretario de segurança, era o hoje presidente indireto, Michel Temer.

O Tribunal considerou: era impossível constatar a culpabilidade desses 74 acusados. Estavam condenados, mas nunca foram presos. A defesa não se conformou, vai recorrer. Quer a absolvição. Anulado, a promotoria ou advogados terão que reabrir o processo, que poderá durar outros 24 anos. A absolvição é definitiva.

Profissionalmente, a defesa está corretíssima. Seus clientes jamais perderão a liberdade. Surpresa das surpresas: esses policiais réus do processo anulado, foram condenados 4 vezes em julgamentos do Tribunal do júri. Esse é um fato inédito. Alguns dos réus foram condenados a mais de 40 anos. Nunca entraram numa prisão. Nem vão entrar. Ontem mesmo Temer jantou com quase 50 ministros e parlamentares, não foi "felicitado" por esse tempo glorioso de secretario de segurança.

"Jurisprudência" Toffoli

2 ex-ministros de Lula e Dilma, Gleise Hofmann e Paulo Bernardo, a partir de ontem, são réus da Lava-Jato. Decisão da Segunda Turma. Relator, Teori Zavascki. Bernardo já esteve preso, mas foi solto por ordem do revoltado ministroToffoli. Este considerou que ele não podia ser preso num "apartamento funcional". O apartamento continua com "foro privilegiado", os moradores não.

O ministro da Justiça continua

Depois de 72 horas da declaração inconveniente e comprometedora, não foi demitido, nem pediu demissão. Apesar de ter surgido uma prova escandalosa. Pela sua agenda oficial, na sexta feira, teve encontro demorado, em São Paulo, com o Superintendente da Policia Federal. No domingo, afirmava: "Vai haver mudança na Operação Lava-Jato".


Na segunda, a base do próprio Temer, alvoroçada, pediu providencias. E a oposição pedia o mesmo, só que gritando mais alto. Não acontecerá nada.
Temos um judiciário caro, hostil e lento
(...) Quando se desrespeita o advogado respinga em todo jurisdicionado, e quando o Judiciário desrespeita o jurisdicionado, desrespeita a sua própria razão de ser; a justiça é para a sociedade e não vice-versa. Daí que a justiça se mostra incapaz de promover a paz social.”

ROBERTO MONTEIRO PINHO                             

Com 108 milhões de ações tramitando, o judiciário brasileiro se consiste no maior obstáculo visível para o desenvolvimento social e econômico. Em meio a esse tsunami de ações, demandam grandes grupos econômicos (Bancos, Instituições Financeiras e Multinacionais), o estado (governo federal, estadual e municipal) com seu enorme complexo de empresas púbicas e dos próprios governos.
As demandas ganham somas alarmantes, e se multiplicam através de sentenças proferidas por juízes, que sequer tiveram a experiência de convívio com a realidade nas relações de trabalho. O sistema capitalista faz vitimas na área da saúde, transporte, habitação e atua nocivamente na engrenagem da justiça, corroendo sua estrutura de tal forma, que contamina a crença de milhões nos poderes constituídos.
Neste universo de leis e ordem, advogados não têm sido violados em suas prerrogativas, e aturam vilipêndios que a nenhuma categoria profissional deveriam ser impostos. O advogado militante, o "operário do direito", o "artesão dessa profissão jurídica", cotidianamente enfrenta a bem da verdade serventias judiciais abarrotadas.
São milhares de milhões de processos estagnados, das audiências impontuais, para não falar das mais diversas idiossincrasias por parte dos membros do Poder, dentre as quais a arrogância, insolência e ausência de urbanidade. É nesse ambiente hostil que o advogado, na defesa dos interesses do jurisdicionado, milita no dia a dia.
Quando se desrespeita o advogado respinga em todo jurisdicionado, e quando o Judiciário desrespeita o jurisdicionado, desrespeita a sua própria razão de ser; a justiça é para a sociedade e não vice-versa. Daí que a justiça se mostra incapaz de promover a paz social.
Embora o judiciário seja a porta para tentativa de solução de conflitos, uma pesquisa realizada pela USP e pela UNICAMP, aponta que 55,3% dos brasileiros não acreditam a fundo na justiça. Ainda, outra pesquisa pela (Vox populi/cartacapital/Band), revela que 60 % não acreditam na justiça. 
Na Justiça do Trabalho, cada processo novo tem um custo médio de R$ 3.200. Na especializada nada mais dá certo. Os juízes na sua maioria são negativistas, insolentes, xenófobos, e usurpadores das medidas. Minha saudosa mãe já dizia, “quem não se da ao respeito, não pode ser respeitado”. E por isso, a sociedade atribui baixo conceito da justiça.
Conforme as leis, o juiz, é o sujeito da relação jurídica processual, e por isso deve se colocar acima e entre as partes, com imparcialidade e a igualdade no tratamento das partes, observando o contraditório, durante todo o transcorrer do procedimento, como forma de resguardar a dignidade do seu oficio e do próprio Poder Judiciário. Mas as leis servem para a sociedade e não para o representante do estado.
A bem da verdade muito se investe no judiciário brasileiro. Em 2013, os gastos, alcançaram R$ 57,1 bilhões, contra R$ 53,3 bilhões em 2012. Se os tribunais funcionassem, o pesado fardo financeiro até poderia não ser um problema.

Não é o caso. “Nosso Judiciário é caro e não se reverte em serviços prestados.
Ele não se vê como prestador de serviço público”, diz Luciana Gross Cunha, coordenadora do Centro de Pesquisa Jurídica Aplicada da Fundação Getulio Vargas de São Paulo.

 O governo só deve enviar a proposta de reforma na legislação trabalhista ao Congresso Nacional no segundo semestre de 2017. Não se sabe ao certo se o governo não quer elaborar o texto de forma apressada, antes de apresentar qualquer sugestão a respeito, ou debater a matéria com a sociedade, incluindo os trabalhadores e os empresários.

Direitos como férias, 13º salário, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e  vales-transporte e refeição, e o repouso semanal remunerado, segundo fontes do Planalto serão respeitados.


A jornada de trabalho elastecida para 12 horas por dia. Considerada forte, e a maior ameaça e a troca do legislado pelo negociado, já é anunciado como letra morta no governo.