Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quinta-feira, 18 de maio de 2017

O INSUSTENTÁVEL FUTURO DE TEMER.

HELIO FERNANDES

Começando às 20 horas de quarta feira e dominando todo o tempo e todos
os espaços da quinta feira, e para facilitar a leitura e o
entendimento de tantos acontecimentos diversos, decidi transmitir para
o leitor, tudo o que eu ia sabendo. Se eu fosse fazer como
habitualmente um texto corrido, a complicação não permitiria a
constatação. Assim, os fatos são contados minuciosamente desde o
momento em que acontecem.  O início, o leitor já viu as 10 horas da
manhã. O final, neste momento, nem eu nem ninguém sabe.

10 horas da manhã - A ultima nota, que publiquei á meia noite: "Aécio
Neves pediu 2 milhões a um dos Batistas. "Pela segunda vez em 16
meses, Temer e Cunha traem a República, estremecem o país. Ninguém
dormiu, estão todos em atividade. A quinta feira começa incandescente.
Fachin manda afastar Aécio do Senado e pede sua prisão. A essa hora
sua irmã já está presa. Temer com uma nota oficial, tenta desmentir
uma gravação criminosa. Todos estão inquietos e angustiados, a
sensação: terá que acontecer alguma coisa.

11 horas - Temer não saiu do Planalto. Levanta e fala: "Vou fazer
pronunciamento á nação". Moreira Franco diz, "Não é o momento", o
assunto é encerrado. Em cima da mesa, único jornal, O Globo. Temer
pergunta, "quem trouxe ESSE jornal?" Mas ele mesmo viu que era
provincianismo e diz: esquece, esquece. Chega alguém e conta, "está
chegando muita gente na Câmara. "No senado, concordância dos dois
lados: "O sistema político ruiu".

12:30 - Sessão plenária no Senado. Da tribuna, a combativa Fátima
Bezerra, exclama e reclama: "Temer não pode ser presidente". E
termina: "Queremos eleição direta, chega de golpe dentro do golpe". Do
plenário. alguém grita: "Temer é a traição anunciada". A bancada do
governo silenciosa. Seu líder, Renan Calheiros, ausente.

13:30 - A oposição entrou com o terceiro pedido de impeachment.
Considero um erro. Devia recorrer ao Supremo ou TSE. Este então, tem a
solução prontinha e completa, para resolver tudo hoje. O relator já
entregou seu trabalho admirável, CONTUNDENTE a favor da
cassação. Lúcida e patrioticamente, aprovam por UNANIMIDADE, e a
seguir, em 15 minutos, marcam a eleição DIRETA, dentro de 60 dias. Sem
violência ou favoritismo

14:00 - Temer cancela todos os compromissos, declara: "Vou me dedicar
inteiramente a articulação política. O que ele chama de articulação
política: tratar pela segunda vez do impeachment. A primeira vez para
trair a presidente e chegar ao poder. Agora, a segunda vez, para fugir
do impeachment e manter o poder ilegítimo. Dificílimo. Ele ganhou o
poder em parceria com Eduardo Cunha. Agora está na eminência de
perdê-lo, acusado pela corruptissima JBS, de ter avalizado o pagamento
para manter o silêncio do mesmo Eduardo Cunha. Além de medíocre,
incompetente e sem caráter, Temer não tem nem imaginação. Foi para o
poder e caminha agora para a forca usando os mesmos recursos e os
mesmos parceiros.

14:30 - Duas intervenções importantes do ministro Fachin:
1- Abriu inquérito contra Temer, mas não o afastou do cargo.
2- Sumarizou o que é o afastamento de Aécio do Senado, não pode
exercer atividade parlamentar de jeito algum. Pode ir ao Senado, mas
só ao seu gabinete, nenhuma ida ao plenário. Nos últimos 30 dias,
ruína completa de Aécio.

15:30 - Depois de mais de 3 horas de reunião com o chamado ministério
político, Temer reconheceu: "Minha situação é muito difícil, preciso
me manter no cargo pelo menos até o fim de semana". Rodrigo Maia, que
ficou o tempo todo no Planalto, ninguém almoçou, garantiu a Temer: "
Presidente, os pedidos de impeachment que chegarem à Câmara, eu
seguro". (Rodrigo Maia, que foi parceiro de Eduardo Cunha, aprendeu
isso com ele).

A maior interrogação de todas essas horas, e sem o mínimo de resposta:
qual a extensão da abertura de inquérito determinada pelo Supremo?
Ninguém soube responder. Temer então, insistiu. "O Supremo pode cassar
o meu mandato?".
Silêncio total.

16 horas - Como conseqüência dos fatos e da incerteza, a Bovespa teve
o pregão interrompido até o meio dia. Recomeçou e agora a queda é
exatamente de 10%. Alguns esperam recuperação se a situação política
não se agravar. Acontece que neste momento não existe resposta para
esta questão.

16,30-Começaram a circular rumores a respeito de renuncia de Temer.
Até jornalistas conhecidos, resolveram tentar um furo, e colocaram no
blog: "Temer vai renunciar ainda hoje", Não colou, logo, logo, Temer
afirmou também chutando: "Não renuncio e quero investigação bem
rápida", Temos que esperar.
 
 
17 horas - Brasília não está explodindo, mas também incendiando.
Naturalmente em sentido figurado, mas também rigorosamente verdadeiro.
A Praça dos Três Poderes nunca esteve tão distante. Oscar Niemeyer como
comunista apaixonado, escolheu nomes coletivos. Não imaginou que
ficassem tão individuais, e hostis. Hoje, alem da hostilidade,
animosidade.

18 horas- Pessoas que falam com Temer a qualquer momento, me
dizem: "Nos primeiros instantes, por volta das 9 ou 10 da quarta ele
ficou assustado. Mas pela madrugada já estava calmo". Perguntei sobre
o processo aberto pelo Supremo, responderam: "Ele acha que o Supremo
tem responsabilidade, não vai se render á gravação de chantagem". E
concluiu: "Nem incomodei a minha amiga Carmen Lucia, presidente do
Supremo". Acreditei em tudo. Mas acredito muito nos fatos. E esses no
momento, giram com outra velocidade.
 
18,15- Enquanto a crise é nacional, o PSDB aproveita para tentar se
livrar de Aécio na presidência. A Câmara lança um nome, Aloizio Nunes
tenta salvar o amigo. O senado não quer perder a presidência. mesmo 
que vá para um senador do segundo time. Tipo Tasso Jereissati.
FHC não podia faltar, aparece com uma nota dúbia e supérflua. 
Finalmente Aécio concorda, pede licença.
 
18,30- Conversações para todos os lados. Câmara, Senado, Planalto,
gabinetes do Supremo. O que me impressiona e me espanta: a ausência do
TSE. Já disse muitas horas antes, que poderia resolver tudo hoje
mesmo. Mas não serve ao "esquema Gilmar Mendes". Então o país fica se
corroendo na incerteza e na indecisão, mas quem domina tudo, é o
presidente do TSE.
 
19 horas- Temer reclama: "esquecem que sou presidente da Republica, me
tiram a governabilidade, não posso governar". 3 perguntinhas ingênuas.
1- Quem garante que é presidente, sem povo. sem voto, sem urna. 2-
Tirando o Meirelles, Eliseu e Moreira Franco, quem acredita que está
governando.
 
Quando assumiu o governo, da forma ilícita  que o ameaça  agora, não
sabia que roubava a GOVERNABILIDADE de alguém?
 
20,15- Vou me despedir, as coisas começaram de forma efervescente,
pararam, não aconteceram mais. As televisões deram alguns fatos pela
manhã. Depois, silencio completo. Acredito que essa pasmaceira se
prolongará até o fim da semana. Mas está havendo inquietação nas ruas,
com a perspectiva de que não aconteça nada.
 
21 horas- As manifestações do Rio, pacificas, e com muita policia, 

como sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário