Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

terça-feira, 4 de julho de 2017

A IDEOLOGIA DA DESIGUALDADE

HELIO FERNANDES

O Datafolha tentou explicar o inexplicável, deixou á mostra, uma falsa realidade: a direita teria perdido espaço, que a esquerda teria conquistado ou reconquistado.O estudo, a analise ou mais simplesmente, a  pesquisa, se movimentaram em territórios movediços, que contrariam frontalmente o que se pretendeu apresentar como conclusão.

Inicialmente deveriam ter localizado o trabalho gigantesco: serve apenas para o Brasil ou se baseia também no resto do mundo, principalmente nos países em mais do que visível processo de transformação do pensamento. Aparentemente dão a impressão da preocupação apenas  com o Brasil, quando dividem o pensamento ideológico em 5 compartimentos rigorosamente tradicionais.

Centro, e duas denominações para a esquerda e duas para a direita, mas amenizando o radicalismo, que domina cada vez mais o partidarismo de todos os países. Segundo o divulgado, no Brasil não existe o radicalismo nem de esquerda nem de direita. Não foi falha ou equivoco, e sim premeditação, a tentativa de livrar o Brasil da convivência dos extremos.

No resto do mundo, surge o exagero de parecer ou até ser RADICAL de esquerda ou de direita. Essa definição não tem dado resultado. Na França, a radical de direita foi praticamente dizimada.  Socialistas e Republicanos, que dominavam o poder com ligeira interrupção desde 1968, quando De Gaulle implantou a Quinta Republica, desapareceram. Tinham ideologia, custaram a aprender que o povo está muito longe disso.

No (ainda) país mais importante do mundo, a derrocada da ideologia e da convicção, irrecuperável  por muito tempo. Elegeram alguém que o New Iorque Times e outras potências da pesquisa, indicavam na véspera da eleição: "Tem 99 por cento de chance de perder". Venceu porque não representava nada.

Governa ou desgoverna (é a mesma coisa) seguido pelos que cansaram de ACREDITAR. Consideram que suas vidas só podem ser vividas, mudando de rumo. Então, resolveram DESACREDITAR. E para  isso nada melhor do que ter Trump como presidente. Um personagem  desvairadamente vazio, que só tem um objetivo: isolar seu país e o mundo, o que vem fazendo com euforia e eficiência.

BRASIL: SEM IDEOLOGIA DESDE A REPÚBLICA, ATÈ AGORA

A Republica surgiu sem povo, viveu sempre longe das ruas. A primeira eleição direta, foi realizada 56 anos depois da republica que não é a dos nossos sonhos. (Saldanha Marinho). Durante 41 anos, de 1889 a 1930, apenas um partido, o Republicano, sem ideologia. Entre as diversas ditaduras, ostensivas ou não, excesso de partidos, como agora. E ninguém percebeu nesse tempo, nem percebe hoje, que não pode haver IDEOLOGIA dominante, com 32 países.

O Datafolha acertou em dividir o pensamento ou a falta dele, em 5 legendas .Poderia ter mais 1 ou 2, por compreensão e concessão. Mas nenhum deles por convicção ou pensamento. Na pobreza crônica e miserável em que vive o país, com  a riqueza se concentrando cada vez mais entre poucos, os muitos que não conseguem nem trabalhar, cada vez mais explorados pelos corruptos dos Três Poderes, não ha espaço para a ideologia. A não ser como eu coloquei no título,

A IDEOLOGIA DA DESIGUALDADE.

Do medo. Do abandono. Do desprezo. Do roubo dos salários que não receberam. Da mistificação, dos que assaltaram a presidência, e agora se apavoram com a possibilidade de serem presos pelos crimes  que praticaram. 

TEMER: O TRAUMA DA PRISÃO DE GEDDEL 

Segundo o AINDA presidente tem dito, não imaginava que o ex-ministro fosse preso. È um farsante, péssimo analista, ou não conhece os amigos. Pois desde Romero Jucá que foi demitido com apenas 6 dias no cargo, seus íntimos não param de assustá-lo. Mas como se surpreender logo de Geddel?

O episodio de sua demissão, complica tudo. A intimidação dele contra o Ministro da Cultura, o país todo conhece. Agora, encarcerado por obstrução á investigação na Caixa Econômica, e o fato correlato de  ter recebido 20 milhões em  ESPÉCIE, palavra que substitui o "dinheiro vivo", colocam todo mundo em situação de calamidade e desespero.

JACOB BARATA E CABRAL

Como eu disse ontem, não fiquei nada surpreendido com a revelação da ligação corrupta entre os dois. Fui o primeiro  a revelar:serginho cabralzinho filhinho recebeu 126 milhões da quadrilha formada por pai e filho. 

Quando chegou ao publico, a noticia oficial de que eram 260 milhões, eu já estava ultrapassado. Não me incomodei, fui o autor da revelação. Mas respeito e admiro quem tem boas fontes, e se satisfaz com o prazer da informação. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário