Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

domingo, 9 de julho de 2017

ANÁLISE & POLÍTICA 
    “Informação com Liberdade de Expressão”

ROBERTO MONTEIRO PINHO

Todos contra Temer: Rodrigo Maia, Renan, Tasso e Janot
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está muito próximo de emplacar pela via do Congresso o último período do governo Michel Temer. Dois nomes articulados do Planalto, vazaram para jornalistas que o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e Tasso Jereissat (PSDB-CE). Costuram com boa parte dos congressistas, a saída do presidente, com a aposta de que o deputado e presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), emplaque a presidência da República.
O que pode acontecer...
Caso o Supremo vote pela aceitação da denúncia do procurador Rodrigo Janot, o presidente Michel Temer será afastado por até 180 dias, dando lugar para que o presidente da Câmara Rodrigo Maia assuma a presidência da República. Jereissat é um dos principais articuladores para que o PSDB deixe a base do governo. Se isso ocorrer, além da pressão popular, reflexo da baixa aceitação ao seu governo, Temer enfrenta forte pressão política.
Para o senador Renan Calheiros, a situação do governo do presidente Michel Temer "parece insustentável". "Ninguém de bom senso deve dar as costas à saída constitucional", disse à uma reportagem, fazendo referência à eleição indireta. Na próxima semana, o movimento pró-desembarque do governo alcançara uma posição mais firme dos senadores do PSDB, se isso ocorrer, a expectativa é de que Temer sucumba no poder.
A delação de Cunha

Está circulando a notícia de que o ex-deputado Eduardo Cunha está finalizando o caudaloso texto para o acordo de delação premiada que pretende fechar com o Ministério Público Federal. O ex-deputado já havia comunicado a imprensa de que sua delação envolveria um terço do Congresso, e o impacto maior seria em cima do presidente, Michel Temer. O documento foi anunciado por ele, e deve ser entregue ao MPF até o dia 13 de julho.
Padilha, Moreira e Jucá...
Na lista estão os ministros Moreira Franco (Secretaria Geral) e Eliseu Padilha (Casa Civil) e o senador Romero Jucá (PMDB-RR), conforme noticiou o jornalão Folha de São Paulo. A Folha informou ainda que as delações de Eduardo Cunha e do doleiro Lucio Funaro podem fazer parte da segunda denúncia que o procurador-geral da República deve apresentar ao Supremo Tribunal Federal contra Temer, agravando ainda mais a sua situação.
Alckmin é o único que pode enfrentar Lula em 2018.
Pesquisa na gaveta de um Instituto, e que teria sido encomendada pelo PT, dá a eleição para Lula no primeiro turno das eleições presidenciais em 2018. Se as eleições forem antecipadas, o quadro seria outro, Lula não alcançaria o percentual que garantiria o primeiro turno. Se o candidato for Geraldo Alckmin (PSDB-SP), haveria um segundo turno, ai o quadro seria tenebroso para os dois. Seria uma eleição voto a voto. Com pequena chance para Alckmin que sai de São Paulo com 80% dos votos válidos. O governador de São Paulo, obteve 12,230 milhões de votos em 2014.
Pesquisas que indicam Lula são questionadas...
De um prócer militante do PT, vazou a seguinte frase: “sabemos que a pesquisa que indica Lula liderando a corrida a sucessão presidencial é falsa. Foi plantada para queimar nosso líder antes da campanha oficial”, sacramentou. Falsa ou não, esse repórter e colunista entende que a pesquisa não está distante da real situação do político junto a opinião pública.

Moral baixa...

Por outro lado, a situação moral de Lula ainda está em baixa. Há pouco o Instituto Paraná Pesquisas questionou 2.192 brasileiros na semana passada. O resultado é que Lula saiu-se menos mal: 1.360 querem que seu destino seja a carceragem em Curitiba; Michel Temer com 1.753. Mas um total de 1.556 acham que os dois devem ter o mesmo destino.

Aguardem a delação premiada de Palocci...

O ex-ministro de Lula, o todo poderoso Antonio Palocci, condenado a 12 anos de prisão, ira protagonizar uma onda de novos fatos e revelações incríveis sobre a política nacional. Na delação premiada de Antonio Palocci vem ai um escândalo sem precedentes envolvendo dois grandes bancos brasileiros.
Deu na “Folha”
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) defendeu a atuação do Judiciário, em vídeo publicado em seu Facebook. A nota eletrônica foi dada dias após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de soltar o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), o "homem da mala", e permitir que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) volte ao exercício parlamentar.
Outra decisão judicial, também agitou o universo político e preocupou o Palácio do Planalto. O ex-ministro e aliado de Michel Temer (PMDB) Geddel Vieira Lima foi preso preventivamente, após decisão do juiz Vallisney de Souza, titular da 10ª Vara Federal de Brasília.
FHC pede que Temer antecipe as eleições presidenciais
Na semana passada, FHC também se manifestou sobre a situação política no País, em artigo publicado no jornal Folha de S Paulo, em que fez um "apelo" ao presidente Michel Temer (PMDB) para "que medite sobre a oportunidade de um gesto dessa grandeza" ao encabeçar uma proposta de antecipar as eleições presidenciais. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, chegou a criticar o posicionamento do tucano, e disse que FHC não deveria "colocar lenha na fogueira".
Dilma continua sua saga de ridícula, desinformada e desastrada
Ou o PT de Lula, segura a ex-presidente Dilma Rousseff, e trava as suas declarações impensadas e desengonçadas, ou ela, bagunça a proposta de partido voltara o poder. As possibilidades, ainda remotas, mas com direito a tentativa de Lula sair candidato a presidência, estaria ofuscada pelas declarações desastrosas da ex-presidente.
Atacar o presidente Michel Temer (PMDB) prestes a ser afastado do mandato, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) vem utilizando suas redes sociais para inalar seus recalques por ter perdido o mais alto posto da república, para um político que soube manejar a câmara, enquanto0 ela criou um desmanche estrutural a a sua manutenção no poder.

No twitter a petista ironizou a carta enviada a ela por  Michel Temer quando vice-presidente em dezembro de 2015, poucos dias depois do então presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ter autorizado a abertura do processo de impeachment contra ela. Bem lembrado no documento, Temer disse que se sentia como um “vice decorativo” e que a cúpula do governo do PT não confiava nele. 

O Banco Itaú, sempre ele...

O empresário Valter Tolentino da Silva e sua esposa, Valdete Viera Tolentino, eram correntistas do banco Itaú há 43 anos. No mês de junho deste ano, o casal começou a ter dificuldades para fazer suas transações bancárias. Saques, pagamentos, recebimento das aposentadorias e todos os demais serviços estavam bloqueados. E foi apenas por meio deste bloqueio que Valter descobriu que sua conta bancária havia sido encerrada, sem qualquer solicitação por parte dele ou de sua esposa e sem ao menos um aviso por parte do Itaú, que alegou que o motivo do encerramento da conta seria o desinteresse comercial por parte do banco em manter a conta dos idosos.

Durante as mais de quatro décadas como correntistas da instituição, o casal sempre manteve o saldo positivo e fez movimentações com boa regularidade, pagando contas e recebendo suas aposentadorias e aluguéis de imóveis por meio da conta.

Com contas em débito automático, sem acesso às aposentadorias e sem conseguir dialogar com o banco, o casal se viu obrigado a tomar medidas mais drásticas: após uma notificação extrajudicial, várias ligações para ouvidoria do banco e uma denúncia ao banco central, eles optaram por entrar com uma representação judicial contra a empresa. Foi proposta ação de obrigação de fazer cumulada, além de um pedido de danos morais.

Sentença

O juiz Rogério Aguiar Munhoz Soares, da 3ª Vara Cível do Foro Regional de Jabaquara – São Paulo, deu ganho de causa ao casal, obrigando o banco a reativar a conta dos idosos, e ainda estipulou uma multa de R$ 1000 por dia caso a conta não fosse recuperada.



Nenhum comentário:

Postar um comentário