Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quarta-feira, 5 de julho de 2017

FORO PRIVILEGIADO, NA PAUTA, MAS SABOTADO

HELIO FERNANDES

Está completando exatamente 1 mês que a comunidade teve uma grande satisfação: foi anunciado que o Supremo votaria o fim desse amaldiçoado beneficio inconstitucional, que protege uma casta de poderosos. Tão importantes, que se mantém impunes e imunes. De tal maneira inatingíveis, que nem tomam conhecimento do principio constitucional, "todos são iguais perante a lei".

Aberta a sessão, com a palavra o relator, Luiz Roberto Barroso. Fiquei assistindo, sem surpresa, certo do conteúdo do seu voto, da argumentação irrevogável. Acabou Barroso, acabou também a alegria geral, começou a votar o ultimo Ministro nomeado, Alexandre de Moraes. Era a primeira vez que votava no pleno.

Iniciou, foi desenvolvendo a masturbação e a mistificação da palavra, falou mais de 1 hora, e ninguém acreditou: não VOTOU e pediu VISTA. Revolta geral no tribunal e fora dele. De tal ordem, que contrariando a tradição, 3 ministros votaram, incluindo a presidente Carmen Lucia e o decano Celso de Mello. 4 a 1 contra o privilegio insensato, mas o processo desapareceu.

Escrevi então textual: "Esse ministro inconsciente e sem constrangimento, só devolverá o processo, quando não servir mais ao presidente Temer". Assim que Temer estiver ultrapassado e condenado, pelo acumulo de crimes, o processo reaparecerá. O Supremo tem que acabar com esse recurso esdrúxulo e insensato, que já foi muito usado por Gilmar Mendes e Dias Toffoli.

DUAS 'justiças' NO MESMO DIA.

È demais, o povo brasileiro não suporta mais tanta generosidade, com políticos corruptos. E monstros sádicos como esse Abdel MassiH. Este, condenado a 181 anos de prisão, pela segunda vez encontra um alto dignatário da “Justiça" compreensível, que o devolve para a prisão domiciliar.  Pelo menos esse juiz deveria se mostrar bem informado, e escrever, voltará para a MANSÃO domiciliar.

No mesmo dia, em outro plano, o senador Aécio Neves, foi á tribuna do Senado, se reapresentou com mandato readquirido. Sem constrangimento, não se deu ao trabalho de pensar, usou as palavras do relator do arquivamento na Comissão de Ética: "Aécio foi vitima de armadilha". Confirmou, e deu como grande vitorioso. Esqueceu que ainda responde por vários crimes. E precisa esperar a reação a solidariedade, do partido que presidia.

Assim que desceu do púlpito, recebeu um telefonema do presidente Temer, "eu sou você amanhã". E o abraço consagrador, está nas televisões e nos jornais. Apertado, demorado, fraternalissimo, de Romero Jucá.

EXCLUSIVO:   

A ESTRATÉGIA DOS NÚMEROS,
NA DEFESA DOS CRIMES DE TEMER 

È dia e noite, no Planalto e no Jaburu. Ministros, advogados, conselheiros. Alem dessas conversas, o recebimento de deputados, começando ás 9 ou 10 da manhã, e só terminando, depois do acordo fechado. Fora os estrategistas da votação. Uma delas. A principal, articulada, aprovada e elogiada antes da viagem do presidente.

O autor identificou sua ideia, como genial e rotulou-a de espectro da lembrança. È o seguinte. Temer precisa de 172 votos, não é a oposição que tem que obter 343. Assim, a estratégia aprovada, tem duas bases numéricas. 172, que é o necessário ou indispensável para salvação. (Pelo menos na primeira denuncia).

O segundo numero, 222, que ninguém esquece. E a complementação: representa uma vantagem de 50 votos, bastante razoável.

CHINA-ALEMANHA

A visita do presidente Xi Jimping á primeira Ministra Angela Merkel, de suma importância, e de notável profundidade. Principalmente neste momento em que a Coréia do Norte assusta o mundo com o seu suposto poderio no terreno dos mísseis intercontinentais. E todos pensam que a China é a única e grande aliada da insignificante Coréia.

Xi Jimping é conhecido como homem de extraordinário bom senso. E o que iria fazer na Alemanha nessa viagem inesperada? O mais simples é acreditar que ele foi desarmar preventivamente, o pânico que assaltou o mundo. A poderosa China, não tem o menor interesse numa guerra nuclear.

Ele não pode desconhecer a analise comentário de Einstein: "Se houver uma Terceira guerra mundial, NUCLEAR, a QUARTA será com paus e pedras. É o que sobrará”. 

A China não entrará ou entraria numa guerra, em que todos estão ou estarão antecipadamente derrotados. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário