Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

terça-feira, 8 de agosto de 2017

MICHEL TEMER, CORRUPTO, RIDÍCULO, INCOMPETENTE, PRESUNÇOSO, VERGONHOSO

HELIO FERNANDES

É tão primário e inconsequente, que suas ações são facilmente antecipadas e constatadas. Foi a SP para se vingar de Geraldo Alckmin, que liderou a bancada do PSDB de SP, que votou contra ele, autorizou a continuação da investigação pedida pelo Supremo.

Como não tem coragem para o combate limpo e correto, mesmo polemico, usou um personagem tão ridículo quanto ele, que começou a carreira com uma negativa, "não sou político, sou gestor".

È o prefeito João Doria. Que ao contrario da afirmação, nos 7 meses que está no cargo, praticou apenas a politicalha desleal, não mostrou uma realização que o credenciasse como gestor.

Pelo que demonstra e até afirma, Doria deixara a prefeitura em abril de 2018, para se candidatar a governador ou a presidente da Republica. Não vou analisar ou aprofundar agora suas intenções, mas o cidadão da capital, pode se preparar. Dentro de 8 meses terá um novo prefeito. Ainda bem que ele se chama Bruno Covas.

A longa lista de elogios ao "companheiro com visão dos problemas nacionais e não municipais", foi logo superada em ridículo por varias outras.

Não teve o menor constrangimento em comparar os astronautas que foram a Marte, com João Doria no parque de Marte. O evento estava sendo televisado, o governador e uma centena de pessoas, assistiam, "morrendo" de rir

Mas havia mais, Pediu licença para confessar orgulhoso: "Eu me comparo ás atitudes do Doria". Ridículo, rançoso, humilhante, provocando outras gargalhadas no grupo do governador e nele próprio. 

Tudo fazia parte do objetivo de atingir e desmoralizar, Alckmin. De todos os personagens que perseguem 2018, é o único que tem nome, sobrenome, legenda e voto. Não sei se dá para ganhar, aí seria adivinhação. (Como contraponto, só Lula, que tem tudo o que Alckmin tem, mas precisa enfrentar problemas não apenas eleitorais).

Na sua projetada tentativa de salvação, com a certeza de que chegará a 2018 (e não dará por terminada a caminhada) Temer estimula a deslealdade congênita de Doria. E pode aumentar a pretensão e a ambição do prefeito que não é político. Mas Temer sabe muito bem, qualquer elogio seu, com 5% de popularidade, se parece mesmo com restrição.

De qualquer maneira, a sorte dos 2 está lançada. Temer não chega a 2018, apesar de todas as bravatas Doria pode chegar para tentar preencher a vaga de Alckmin. Mas precisa de legenda para  tentar enfrentar o vice-governador, candidato e político.

AUMENTO DE IMPOSTOS

Depois dos combustíveis, Meirelles já fala em "nova alíquota de imposto de renda". Lógico que não para os ricos, e principalmente os muito ricos. Mas podem ter certeza que atingirão a classe media, sem duvida alguma, a classe media-media, cada vez mais destroçada financeiramente.

O trabalhador se desgasta durante 153 dias, só para pagar impostos. E não vão parar mais, quem comanda esse espetáculo da roubalheira oficial, é o ministro Meirelles. Temer e Rodrigo Maia fingem não ter nada com isso.

Ontem, Rodrigo Maia afirmou: "O povo não suporta mais pagar impostos". Sabem onde ele estava quando blasfemou isso? No Jaburu, ao lado do AINDA presidente Temer. Balançou a cabeça, nem concordância ou discordância, apenas medo.

De quê? Não manda nada, seu poder se esgota com a compra de votos para fugir da condenação, pelos crimes de corrupção que cometeu. E continua cometendo.

JOÃO DORIA

O assunto do dia. E não apenas nas rede. A recepção que o povo da Bahia proporcionou ao impagável e desleal João Doria. O que chamaram de "ovada", montanha de ovos, em pleno rosto. O  que ele foi fazer na Bahia ?

TEMER-GILMAR MENDES

O AINDA presidente, não gostou de saber que a segunda denuncia do PGR, não será igual á primeira, pela pratica de corrupção. Agora Temer será incluído numa ação coletiva contra o PMDB, por obstrução da justiça. 

Preocupado, telefonou para o ministro do Supremo, marcaram um encontro mais tarde, bem mais tarde, como ele gosta. Fora da agenda, só os dois. Demorou muito, assim que o ministro saiu, chamou Moreira Franco. Teria que redigir alguma coisa?

De qualquer maneira, é um desafio á comunidade, que um ministro que vai julgar o presidente se exponha com tal cumplicidade. Ha 14 meses vem "protegendo" Temer no que terminou no rumoroso e vergonhoso julgamento do TSE.

Mas agora expondo o próprio Supremo. Devia ser proibido de votar, já que não se dá por impedido.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário