Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

TEMER: VERGONHA DE UMA NAÇÃO (2)

HELIO FERNANDES

A sessão da Câmara, ontem, foi dividida em varias. A primeira com 4 horas, de 9 a 13 da tarde. Assim que terminou e levantaram para almoço, relatei tudo o que aconteceu.

E com base nos conhecimentos, e na atuação de mais de 1 mês (começando antes da sessão da CCJ) e na atividade corrupta e corruptora de Temer e sua quadrilha, interpretei o que aconteceria. Acertei inteiramente.

Deixei sem conclusão, a hora em que terminaria a votação, e a vantagem numérica da vitoria da criminosa corrupção. Mas assim mesmo, deixei bem claro que terminaria muito tarde e que a vantagem do Governo, seria claríssima.   

Foram várias sessões, todas elas intercaladas e cada uma com um desfecho próprio. Repeti o titulo de ontem, pois qualquer coisa que se escreva sobre o AINDA presidente Temer, é obrigatoriamente pejorativo.

Às 6 horas da tarde deputados continuavam desfilando o que nem me arrisco a chamar de discurso. Em cada uma dessas sessões, votação mas, sem a obrigatoriedade dos 342 votos. 

A oposição pediu para que o assunto fosse retirado da pauta. Perderam por 298 a 1, e ninguém entendeu qual era o objetivo pretendido. A seguir, nova votação ainda não a principal, faltando 4 deputados, 2 contra e 2 a favor, da autorização para a investigação do Supremo.

 Os milhões de espectadores que estavam ligados desde 9 horas da manhã, tiveram que assistir a palavra do deputado Wladimir Costa, que ganhou manchetes de jornais e televisões, por ter tatuado a palavra e o nome Temer no ombro esquerdo.

E mais grave, ele mesmo declarou que a tatuagem era provisória e temporária, pois poderia precisar tatuar o nome de um outro Presidente. 

Começou então, como é de praxe, a chamada orientação de bancada. Um disparate, pois todos de um lado e do outro sabiam como iam votar.

Ninguém entendeu a razão da suposta oposição  ter dado numero para todas as votações. Essa oposição, nem merece a denominação. E ainda mais surpreendente: tendo dado quorum para a votação, pediram a retirada da pauta.

ÀS 18 HORAS, 488 DEPUTADOS TERMINARAM "ORIENTADOS"

Levou horas para se conhecer o resultado, cometeram o mesmo erro do tenebroso impeachment de Dona Dilma em 17 de abril. Em vez de SIM ou NÃO, discursos chatissimos.
Temer escapou, mas comprou entre 350 e 400 votos, recebeu muito menos, 263. Vem aí a segunda denuncia, terá que pagar os votos novamente ? E os vendedores de agora, continuarão no mesmo ritmo?

Temer se assustou no inicio, quando o NÃO ficava perto do SIM. Depois se acalmou. Boa a ideia de colocar uma deputada da Mesa, pronunciar bem alto o nome de quem votava NÃO. Abriram champanha no Jaburu, sempre com dinheiro do contribuinte

.PS- Ás 20 horas e 30  minutos Temer chegava aos 172 votos, a denuncia estava arquivada. Mas pela proporcionalidade, isso já havia sido atingido, antes. Infelizmente. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário